Coluna da Arte Suave: o sinal de respeito e os ensinamentos que são aplicados em um dojo; confira

Tatame

16/03/2017 10:22

Dojo é o local onde se treinam as artes marciais. Onde, nos antigos textos, os samurais diziam que é o local onde poderiam morrer mil vezes para não morrerem no combate. É um local de aprendizado e iluminação do lutador ao longo de sua vida, como lutador e mestre.

É um lugar que deve ser tão respeitado como um ambiente de estudo, é a extensão da sua casa. Muitos lutadores, conhecedores do Budo, ao entrarem no dojo, fazem uma reverência, mostrando seu reconhecimento e respeito ao lugar. A palavra Dojo veio do Zen Budismo. No Zen, ele significa o lugar de ter o “satori” traduzindo, o lugar de alcançar a iluminação. Nesse ambiente, os monges exercitam todas as suas práticas monásticas, como a meditação, concentração, o controle da respiração e da mente.

No dojo, o lutador precisa ter o comportamento de um guerreiro, de um estudante da Arte Marcial, e que está ali aprendendo e evoluindo, polindo seus erros em busca de seu aprimoramento. Os mais graduados precisam saber que são referências aos menos graduados, portanto, devem sempre partir deles os exemplos de comportamento nos treinos.

620x547
Luiz Dias, em seu novo artigo, fala sobre os ensinamentos em um dojo (Foto Divulgação)


A conduta correta deveria ser básica para todos os dojos. Infelizmente, em alguns dojos, essas condutas foram esquecidas. Devemos entender que, no dojo, nossos adversários são amigos e parceiros de estudos, porque só podemos lutar e progredir se existe um oponente, com quem podemos realizar um combate, então sempre devemos preservar a integridade física, tanto nossa como do nosso companheiro.

A concentração na hora da luta, o compromisso em obedecer ao horário dos treinos e a disciplina de estudar as posições orientadas pelo professor ajudam na evolução do lutador. O cuidado com o seu quimono, higiene pessoal, a permissão para sair do dojo ao professor, postura correta de estar sentado, quimono arrumado e cuidado com as palavras ditas, sendo o silêncio na hora do treino muito importante, tudo isso reflete na qualidade do dojo.

O lutador deve saber que nesse local ele exercita e evolui não só o corpo, mas a mente e o espírito. Lutador “casca-grossa” não é sinônimo de mal educado, e sim, justamente o contrário. Cabe a nós a responsabilidade de implantar esse conceito fundamental para que nossa arte marcial seja reconhecida como formadora de cidadãos e se tornar uma modalidade olímpica, e até mesmo uma matéria em nossos colégios.

Para mais informações sobre, acesse o meu Instagram pelo link https://www.instagram.com/luizdiasbjj/ ou entre em contato pelo e-mail geracao.artesuave@yahoo.com.br. Bons treinos e boa semana. Oss!