Coluna Ciência das Artes Marciais: como funciona a preparação psicológica para lutadores; confira

Tatame

21/04/2017 09:33

577x794
Juliana Camilo é responsável pelo estudo sobre as questões psicológicas (Foto Divulgação)

Muitos especialistas consideram o Boxe e o MMA esportes de elevada exigência psicológica, tão quanto as exigências físicas e/ou técnico-táticas. Proporcionalmente, poucas pesquisas foram realizadas em longo prazo para decodificar a mente dos atletas brasileiros de MMA. No entanto, de forma pioneira, a professora doutora da PUC, Juliana Camilo, acompanhou por aproximadamente quatro anos diversos lutadores de MMA brasileiros. Dentre algumas informações preliminares obtidas em suas pesquisas, destaca-se:

1) Existem respostas diferentes diante dos desafios competitivos, visão das pessoas e dentre a própria academia, do lutador-ídolo (aquele que já se encontra num patamar de "estrela") confrontado ao lutador-trabalhador (aquele que ainda têm caminho árduo a percorrer);

2) Há larga precarização do trabalho do lutador de MMA no Brasil, de modo geral.

Para evidenciar melhor as distinções sociais entre os dois modelos de lutadores averiguados em sua pesquisa, segue trecho de seu livro intitulado "Afinal, quem são os lutadores de MMA?"(veja mais AQUI):

"(...) Na academia A, as práticas apontaram para um lutador-ídolo, que pode suportar dores intensas sem melindres (porque ele é um 'mais que humano'), executar golpes espetaculares, ganhar combates indefinidamente, além de possuir mulheres, poder, status e dinheiro. Os lutadores ali presentes pareciam se identificar com a ideia de possuir superpoderes, de conseguir, por meio da luta, expressar sua força e vigor que uma pessoa ' convencional' não poderia ter, ainda que treinasse muito. Já nas práticas da Academia B, o lutador era performado como alguém que ganhava a vida sendo atleta. Os lutadores eram trabalhadores e, como tal, deveriam cumprir inúmeras tarefas, chegar no horário, ter foco em suas ações, ser eticamente corretos com os demais. Sendo um trabalhador, estava suscetível a adoecimentos e poderia necessitar de descanso e afastamentos, desde que comunicasse adequadamente à sua equipe. O lutador era aquele que esperava conquistar seu sustento e o de sua família com seu esforço e dedicação..."

Além de falar sobre outros resultados presentes no livro, Juliana Camilo ensinará técnicas práticas de preparação psicológica de atletas de modalidades esportivas de combate no III Simpósio Nacional de Lutas, Artes Marciais e Modalidades de Combate.

O mais interessante é que, neste evento, todos os inscritos serão contemplados com o livro baseado nas pesquisas da Prof. Dra. Juliana Camilo.

Site oficial: https://www.simposiodelutas.org/

Mais informações: (11) 96342-6818 (tel e whatsaap)

Público-alvo: interessados em geral (aberto), atletas, praticantes, técnicos, treinadores, mestres, professores, estudantes e profissionais de Educação Física, Fisioterapia, Nutrição, Medicina, Psicologia, Pedagogia, etc.

*Leandro Paiva é autor dos livros “Pronto Pra Guerra – Preparação Física Específica p/ Luta & Superação”, “Olhar Clínico nas Lutas, Artes Marciais e Modalidades de Combate” e co-organizador do livro "Ciência aplicada às Artes Marciais" . Saiba mais sobre seus trabalhos AQUI.

Confira abaixo o vídeo: