Coluna Enciclopédia da Luta: saiba mais sobre os 'Princípios Básicos da Luta' e deixe sua opinião

Tatame

13/10/2016 09:54

Amigos leitores: nós vamos para um lado, para o outro, mas na realidade, se a gente quer passar alguma coisa de útil e que deixe frutos, não podemos abrir mão dos "Princípios Básicos da Luta", Repetindo: nossa "LUTA" não pode abrir mão da "INTELIGÊNCIA" e esta afirmação ficará conosco enquanto estivermos praticando.

Um problema de ordem prática é que não temos uma assistência permanente de nossos mestres. Pensei, então, em criar um mecanismo prático que ajudasse nesse sentido. Daí, nasceram os nossos "PRINCÍPIOS BÁSICOS DA LUTA", que já ultrapassam anos e fronteiras, provando sua utilidade, e por muitas vezes respondem nossas dúvidas, que é o seu maior objetivo.

663x355
Roberto Leitão, em seu novo artigo, fala dos Princípios Básicos da Luta (Foto Divulgação)

Podem ter certeza que, se algo não deu certo no seu combate, pode ter certeza que algum dos “Princípios Básicos" foi severamente contrariado! Testem olhando lutas dos companheiros e vejam se identificam os “Princípios” que aparecem, tanto na parte positiva como na negativa, quando contrariados, onde ficam ainda mais evidentes. Vou colocar um super concentrado, para que vocês tenham uma visão global, mas tenho certeza que algum terá uma utilidade imediata para vocês. Quem se interessar, me peça uma versão mais completa, que eu mando os de “Treinamento“, mas exijo um comentário: Qual o que você acha mais importante e porquê. Qual é o mais fácil de observar?

De combate: "Não sei, não deixo". O "Princípio Básico" mais importante de todos, principalmente quando ainda conhecemos pouco. Torna o adversário que sabe pouco, bem mais forte; Obs: temos que levar este Princípio ao “pé da letra”. Vejam quantas situações poderiam ser evitadas se não deixássemos que a pegada se iniciasse. Observar este Princípio não significa amarrar a luta, mas principalmente, ser previdente.

Equilíbrio de Forças: é preciso mantê-lo a todo custo, em quantidade (exemplo: 1 braço contra 2 braços), em qualidade (exemplo: braço contra perna) e na forma (exemplo: alavanca pequena contra alavanca grande). Observem que os grandes golpes são sempre fruto de algum grande desequilíbrio. Exemplo: armlock: braço contra braços, lombar e pernas do adversário (numericamente, seria 20% contra 80%, um desequilíbrio total).

Corpo Integral: temos que utilizar todas as ferramentas que dispomos. Quem trabalha com só uma parte do corpo está dando grande vantagem para o adversário. Por exemplo: é preciso não esquecer de trabalhar com as pernas o tempo todo, mesmo que a atenção principal seja para com os braços e vice-versa. Não é só um membro ajudar o outro, pode e deve também trabalhar independente. Observação: é o Princípio Básico mais esquecido de todos.

Movimento Contínuo: só o movimento continuo é inteligente. Lembre-se do barco a vela que consegue navegar contra o vento. Lembre-se também que o atrito inicial é maior do que o atrito em movimento. A Inércia (simplificando: é a propriedade de um corpo que tende a fazer que ele não modifique a sua condição de movimento) tem que ser nossa aliada, e não nossa inimiga.

Ocupar Espaço: quem ocupa os espaços, domina. Se vale até para as batalhas na guerra, que dirá para a luta. Lembre-se que “dois corpos não podem ocupar o mesmo espaço ao mesmo tempo” (Newton: Princípio da Física). Pense bem: para desenvolver alguma técnica, o adversário precisa se mover. Se estivermos ocupando o espaço necessário, seguramente, ele não conseguirá seu intento.

Apoiar certo: quem apoia certo, apoia forte. Escolha bem o seu apoio, use o próprio adversário. Devolva para ele a força que ele aplica, coloque a seu serviço o esforço dele. Aprenda a se “ancorar” no adversário. Priorizar ao máximo s pressão é quase sempre mais importante do que a força.

Repetição sistemática: é muito perigoso ficar repetindo sistematicamente posições. Você dá chance ao oponente para prever o que você vai fazer e todas as consequências, especialmente nas posições de defesa.

Confiar na conquista: sempre desconfiar do que lhe está sendo oferecido. "Laranja madura no meio da estrada ou tem dono ou está bichada". Só acredite no que você conquistou. Existem armadilhas.

Aparências enganam: só passe para o adversário o que lhe for interessante. É uma real vantagem não mostrar para o adversário a eficiência das posições dele. Se ele pensa que está sendo eficiente e não está, você estará tendo uma boa vantagem.

Revelia jamais: sempre é preciso fazer alguma coisa.