Coluna Mente Forte: continuação das explicações sobre o Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade

Tatame

29/05/2016 09:30

CONTINUAÇÃO - O TDAH

Em todas as faixas etárias, portadores de TDAH estão sujeitos a desenvolver comorbidades, ou seja, desenvolver simultaneamente outros distúrbios psicológicos e psiquiátricos, como impulsividade, alto nível de estresse, ansiedade, depressão e outros. O uso abusivo do álcool e de outras drogas contribui para aumento do risco pessoal e agravamento do quadro clínico.

A Associação Brasileira de Déficit de Atenção – ABDA, lista alguma orientações estratégicas para aulas de esportes com crianças e jovens portadores de TDAH:

O esporte pode trazer benefícios incontáveis para qualquer pessoa. Mas, nem sempre é fácil estimular uma criança ou adolescente com TDAH a iniciar e persistir em alguma atividade esportiva. Separamos algumas dicas e observações que podem ajudar instrutores esportivos, bem como os próprios pais a estimularem essa prática.

Principais barreiras do TDAH nos esportes:

- Dificuldade em seguir instruções, as crianças com TDAH tendem a não dar importância às instruções, procurando pular esta parte, indo direto à atividade.

- Impulsividade, crianças com TDAH agem primeiro e pensam depois, acabam assim, operando instintivamente, fato que prejudica atividades que requeiram estratégias, concentração e regras pré-definidas.

- Desatenção, atividades que requeiram que elas fiquem paradas e concentradas por um tempo, aguardando sua vez, são um desafio.

852x479
Veja a continuação das explicações sobre o TDAH na coluna Mente Forte (Foto Divulgação)

- Baixa tolerância a frustração, ter que esperar pela sua vez ou perder, causam frustração acima do normal, e podem gerar comportamento agressivo, defensivo ou de esquiva.

Existe algum tipo de predisposição para esse tipo de problema?

Apesar de se ter um grande avanço da neurociência e nos estudos de psicodiagnóstico, ainda não existe um consenso sobre o grau de influencia de uma pré-disposição genética, fatores psicológicos e ambientais que possam precisar com exatidão a natureza do TDAH. Especialistas apontam que o problema evidencia-se nos primeiros anos de escola, apesar de estarem presentes desde o nascimento; na adolescência e na vida adulta, os sintomas relacionados à hiperatividade são menos evidentes, porém outras dificuldades permanecem inalteradas causando prejuízos que se acumulam no dia a dia com reflexos negativos sobre a autoestima e aceitação pessoal. Na vida profissional e na prática esportiva a impulsividade é um dos sintomas que acompanha e atrapalha o atleta e outros profissionais causando severos prejuízos na carreira.

Algumas formas de tratamentos:
Sobre as formas de tratamento, podemos dizer que existem tantas quanto as áreas de atuação multiprofissional que realizam o diagnóstico, porém é importante ressaltar, a necessidade de um diagnóstico diferencial e um plano de ação levando em conta as predominâncias de sintomas e nível de classificação. O diagnostico irá determinar se a abordagem será primeiramente de base orgânica com a administração de medicamentos psicoestimulantes, em que o médico é o profissional habilitado para administrar essa forma de tratamento. Ou tratamentos de base terapêutica Psicoterapia Cognitiva Comportamental e Coaching Organizacional que tem sido as melhores opções e apresentado excelentes resultados. Também há que ressaltar as possibilidades de intervenção pedagógica com a atuação dos psicopedagogos. Outra forma de abordagem interventiva é o neurofeedback.

Segundo a ABDA, à primeira vista, esportes individuais e sem contato, costumam ser os mais recomendados para pessoas com TDAH. Porém isto não significa que portadores de TDAH não possam ou não devam praticar esportes coletivos de contato. Superar desafios é uma das principais tarefas do dia a dia.

Alguns das principais dificuldades e desafios listados pela ABDA na prática de esportes coletivos:
- Dificuldade em esperar pela sua vez.

- Dificuldade em se manter concentrado enquanto espera sua vez.

- Dificuldade em focar simultaneamente em si mesmo, no espaço, nas regras e no posicionamento dos colegas e adversários.

- Dificuldade em agir estrategicamente. Isso acontece com muita frequência no Jiu-Jitsu.

- Dificuldade em antecipar o movimento dos oponentes. Isso acontece com muita frequência no Jiu-Jitsu.

- Dificuldade em controlar as emoções; pode reagir de forma inesperada (ex. ter uma explosão de raiva porque um colega de equipe perdeu).

Principais desafios nos esportes individuais:

- Pessoas com TDAH tem menos tolerância a frustração do que as demais, por isso repetidos erros e fracassos, podem faze-las desistir mais rápido. Descubra o que cada uma faz melhor e estimule isso. Também evite dar tarefas muito detalhadas.

- Evite dar funções de revisão (revisar e ou corrigir o trabalho dos outros), e que exijam atenção aos detalhes.

- Pessoas com TDAH não gostam de explicações prolongadas. Explique o básico e coloque-a para agir. Ela aprenderá muito mais fazendo do que só ouvindo ou vendo.

- Observe o nível de excitação. No TDAH, a excitação geralmente está acompanhada de ansiedade, e neste ponto, se tornarão mais desatentas e por consequência falharão.

- Não estimule a competição, a menos que a própria pessoa demonstre inclinação para isso, e mesmo assim, é recomendável que só a deixe competir quando estiver muito preparada.

Se você não esta conseguindo manter o foco nas atividades, prestar atenção em detalhes ou comete erros por distração ou descuido e esta percebendo que essas situações estão prejudicando o processo de aprendizagem e sua prática profissional; vai alguma dicas:

Procure estabelecer e manter um nível organizacional razoável com uso de agenda, planilha de horários de atividades, lembretes colocados em locais estratégicos, na escola, no trabalho, em casa a porta da geladeira é muito eficaz, lembretes programados pelos novos telefones tem sido muito usados, vale a pena investigar se existe no mercado existir aplicativos com essa finalidade. Essas ações facilitam o enfrentamento e a superação das barreiras que o TDAH impõe no dia a dia das pessoas que convive com esta síndrome ou distúrbio. Vale lembra que é indispensável a consulta e orientação profissional psicólogo.

Para saber mais sobre o tema ou o meu trabalho, acesse os meus sites e fique por dentro. Veja os links: http://www.psisport.com.br/ ou https://www.facebook.com/jorgeluis.marujo .