Coluna Treinamento Desportivo: a importância da hidratação para os atletas; saiba mais e opine

Tatame

15/12/2016 09:40

Seja atleta de alto rendimento, praticante experiente ou até mesmo os que estão em fase inicial na prática de atividades ou exercícios físicos, a hidratação é fundamental para manutenção do seu equilíbrio fisiológico.

Uma das formas mais utilizadas para a hidratação é a ingestão de água, que tem como principais funções no organismo a manutenção de seu bom funcionamento, a preservação das funções fisiológicas, o transporte de nutrientes e a regulação da temperatura corporal, entre muitos outros benefícios.

Durante a prática de determinados exercícios físicos, o corpo, na procura constante da homeostase, encontra alguns desafios, como por exemplo, dissipar o calor para o ambiente e evitar a hipohidratação. O suor é uma das formas que o corpo tem de responder ao aquecimento central do organismo e regular a temperatura, dependendo de vários fatores (intensidade da atividade, condições ambientais, entre outros). A sudorese pode exceder a dois litros/hora, dependendo do atleta e da atividade em questão, claro.

620x541
Em seu novo artigo, Stefane Dias fala sobre a importância da hidratação (Foto divulgação)


O suor tem em sua composição, além de água, sódio, potássio e pequenas quantidades de cálcio e ferro. A alta quantidade da sudorese pode acarretar a hiponatremia, que é a perda de sódio através do suor, que, quando severa, pode ter como consequência até o óbito. No caso de hiponatremia, as bebidas chamadas de bebidas esportivas se tornam boa opção para indivíduos com certo preparo, pois conseguem repor água, carboidratos e sais minerais.

A hipohidratação ou desidratação é a perda excessiva de água que, quando ocorre, acarreta a diminuição considerável da disposição, câimbras musculares, diminuição na coordenação, distúrbios intestinais. O desempenho na atividade tende a cair aproximadamente em 30%, e ocorre queda na regulação térmica.

O ambiente é um dos fatores que mais influenciam no quadro hídrico do praticante. Em locais com temperaturas elevadas (acima de 28°C), o risco de desidratação é muito alto. Com temperaturas mais amenas (entre 23°C e 28°C), o risco é considerado alto, assim, é importante lembrar de alguns cuidados, como a aclimatação, ou seja, a adequação com o ambiente de realização da atividade, a vestimenta que deve ser leve, confortável, e o mais importante, compatível com a atividade realizada e o clima, além da hidratação.

É importante salientar que a ingestão de líquidos é essencial para a manutenção da performance em exercícios físicos antes, durante e depois da atividade. Aproximadamente duas horas antes da atividade, treino ou competição, é recomendável ingerir de 400 a 600 ml de água. Durante a atividade, a cada 15 a 20 minutos, ingerir pequenas doses, entre 120 e 250 ml, que podem ser água ou isotônicos. Porém, ao final do exercício, a ingestão deve ser maior, entre 450 e 650 ml.

Vale lembrar que não se deve beber água em grandes quantidades de uma só vez, evitando assim a sensação semelhante a de “estômago cheio” e também o risco de hiponatremia. Não se deve esperar ficar sentindo sede para ingerir líquidos, e que mesmo que a água seja o mais acessível na maioria das vezes, sucos ou isotônicos são bem vindos, devido ao seu alto índice glicêmico, que ajuda na performance e recuperação em atividades prolongadas de endurance. Destacamos também que a atividade física deve ser orientada por um profissional de educação física, fazendo-se de extrema importância a hidratação adequada, principalmente no verão.

* Artigo por Dr. Fabio Vieira e Stéfane Dias. Para mais: fabio.vieira@hotmail.com ou mestraoatt@hotmail.com