Coluna Treinamento Desportivo: confira a tecnologia que ajuda no desenvolvimento da velocidade

Tatame

25/02/2017 11:00

* O treinamento de força é uma parte integral do processo de treinamento desportivo, utilizado para melhorar a performance atlética em praticamente todos os tipos de esporte. Tradicionalmente, o aumento do nível de força vem via duas adaptações/mecanismos - adaptações morfológicas do músculo (hipertrofia) e adaptações do sistema nervoso (coordenação intra e intermuscular, aumento da ativação das unidades motoras, etc).

A partir disso, são utilizados dois métodos principais de treinamento de força e potência: o primeiro utiliza cargas moderadas e altas repetições (para melhorar a morfologia muscular), e o segundo se utiliza de altas cargas e poucas repetições para melhora da ativação neural. Esses métodos normalmente utilizam-se da porcentagem da repetição máxima de algum exercício (1RM do agachamento, por exemplo) para atingir as zonas de treinamento necessárias. No entanto, essa abordagem possui alguns "defeitos":

620x412
Rony Jason é um dos atletas a utilizar a tecnologia em seus treinamentos (Foto Divulgação)


- 1RM flutua de um dia para o outro por fatores psicológicos e fisiológicos;

- Altas chances de lesão;

- O tempo necessário e a precisão do teste.

Nos últimos anos, a utilização de aparelhos para monitorar as cargas do treinamento de força vem se tornando mais frequentes e eficazes. Alguns desses aparelhos são validados cientificamente, como o “PUSH band”, e utilizados em diversas pesquisas na área do treinamento desportivo. Nesse artigo, convidei o especialista em levantamento de peso Diego Lacerda para demonstrar alguns detalhes desse novo método, que vem sendo usado na preparação física do atleta do UFC Rony Jason.

Mensurar a velocidade durante o treinamento de força não é novo, mas antigamente era restrito aos atletas de elite. Dependendo de qual manifestação de força o atleta queira estimular, existe uma janela de velocidade na qual deve ser trabalhada, por exemplo:

É conhecido da literatura científica que o treino para força máxima deve entrar em uma janela de velocidade entre 0,15m/s-0,35m/s, por outro lado o treino para potência deve entrar em uma janela de 0,75m/s-1,5m/s (González-Badillo, 2010; 2011, Baker, 2016; Bazuelo-Ruiz, 2015).

Hoje em dia, os monitores de velocidade de barra são bastante acessíveis financeiramente e fáceis de usar. O PUSH Band custa 289 dólares, é colocado no antebraço do atleta (foto Rony "Jason") e conectado através do bluetooth com um celular, onde é mostrado em tempo real a velocidade de cada movimento do exercício, permitindo ao atleta se autorregular para entrar nas zonas de treinamento. O PUSH Band nos mostra a velocidade média, que é a velocidade através de todo movimento concêntrico e o pico de velocidade - a maior velocidade atingida em qualquer porção de 5-milissegundo da repetição. A velocidade média é altamente relacionada com qualquer porcentagem de 1RM e uma ótima medida para controlar os exercícios com foco em desenvolvimento de força. Por outro lado, o pico de velocidade é mais relacionado ao treinamento de potência.

A velocidade da barra é um parâmetro de medida muito útil. O treinamento com a máxima intenção de velocidade mostra ter melhores resultados em força e potência do que o treinamento comum lento e controlado de força. Esse tipo de treinamento permite um feedback imediato de performance e objetivo, já que cada zona de velocidade é relacionada à uma qualidade física.

Isso facilita o treinador e atleta, pois recebem uma imagem como esta abaixo e vão ajustando a carga a cada série ou sessão de treinamento.

684x414
Tecnologia Push Band vem sendo bastante utilizada pelos atletas (Foto Divulgação)


Para maiores detalhes, escreva para Diego Lacerda: diegocslacerda@gmail.com

* Diego Lacerda é mestre em sistemas de preparação física para atletas de alto rendimento (Universidade Estatal de Cultura Física e Esportes de Moscou-Rússia); treinador de atletas profissionais de MMA, Jiu-Jitsu, Kickboxing e Taekwondo; treinador de atletas profissionais de Crossfit; certificado em Kettlebell Training, Levantamento de Peso Olímpico e avaliação de movimento funcional; graduado em Educação Física (Unifor-Ceará)