Coluna do Ítallo Vilardo: confira as principais formas de fortalecer sua guarda de maneira eficiente

Tatame

02/12/2016 10:00

Recentemente, vi um vídeo onde um atleta dizia fortalecer a guarda utilizando uma espécie de “saco com água” preso aos pés, enquanto ele realizava alguns movimentos com os pés. Pena que não é tão fácil assim, e aquele “exercício” não tem grande utilidade.

Vamos a alguns fatores e análises:

- Devemos, em primeiro lugar, analisar o movimento como um todo.

- Depois, analisar os vetores de força e braços de resistência.

- Durante um “trabalho de guarda”, fazemos força em diversas direções: puxamos, empurramos, subimos e descemos

- Com isso, analisar quais músculos estão trabalhando para a realização de cada movimento.
Depois disso, vamos prescrever os exercícios que devem ser feitos e a configuração (quantidade de séries e repetições) empregada neles, e não somente pendurar um saco nos pés e se mexer simulando uma guarda. A configuração deve estar de acordo com o planejamento geral, e deve andar de acordo com o objetivo daquele período (se estamos trabalhando força, devemos trabalhar força também, se estamos no microciclo de resistência, devemos trabalhar resistência com esses movimentos também). Vale sempre lembrar que não é o exercício em si que causa efeito, e sim a configuração empregada nele, de acordo com o macrociclo (planejamento).

Vamos agora ver uma sequência de exercícios específicos que podem ajudar consideravelmente a melhorar sua guarda, lembrando que todo o exercício deve ser acompanhado por um profissional capacitado.

Iremos utilizar uma polia regulável, um pegador normal (NÃO use um quimono como puxador), uma tira com velcro (normalmente achadas nas academias) e uma caneleira.

1- Guarda “pé no bíceps”:
Regulando a polia em uma altura média, vamos prender o cabo por dentro da presilha da tira de velcro (de modo que o cabo deslize por dentro), fazendo o movimento característico da guarda.

620x620
Montagem mostra posição inicial, final e close na forma de prender (Foto Divulgação)

2- Trabalho de gancho “força de cima para baixo”:

Utilizando a polia um pouco mais baixa e a mesma tira, vamos prender o gancho do cabo na presilha e realizar um movimento circular com a perna: para o lado, diagonal e para frente, retornando à posição original pelo meio.

620x620
Montagem mostra início, meio (abrindo a perna para fora) e final (retornando ao início) (Foto divulgação)

3- Trabalho de gancho “força de baixo para cima”:
Vamos fazer o mesmo movimento do exercício anterior, porém, vamos utilizar uma caneleira. Com isso, vamos trabalhar a força contrária ao movimento anterior.

620x620
Montagem mostra posição inicial, meio (abrindo perna para fora e final (retornando ao início) (Foto Divulgação)

O treinamento é sempre mais simples do que parece, não precisamos dos aparelhos mais sofisticados e mais caros. Precisamos ter profissionais capacitados ao nosso lado, pessoas que realmente entendam da modalidade e saibam o que estão fazendo.