Coluna do Ítallo Vilardo: o exercício aeróbico e o Jiu-Jitsu, uma relação simples; confira e opine

Tatame

05/01/2017 08:49

É muito comum, no meio do Jiu-Jitsu, escutar a seguinte frase: “Preciso melhorar meu gás, vou correr para melhorar meu aeróbico”. Parece simples, não? Mas por ser tão simples, cometemos um grande erro: a escolha do “exercício” aeróbico. Estamos no início do ano, voltando das festas com alguns kg a mais e com o nosso “gás” baixo, devido a termos treinado menos, bebidas, comidas e, com isso, buscamos melhorar nosso aeróbico, sendo que nem sempre buscamos a forma mais correta de fazer isso. Entenda correto como específico, pois somos lutadores, e não maratonistas.

O corpo tem vários tipos de vias energéticas, o aeróbico é uma delas. Vamos entender a via energética aeróbica: aeróbico significa que o exercício utiliza o oxigênio como fonte primária de energia. Em exercícios aeróbicos, que são de menos intensidade e de grande duração, o corpo irá exigir muito mais energia, porém, terá mais tempo para produzi-la. Neste caso, a glicose se transforma em ácido pirúvico, que entra na mitocôndria (uma estrutura da célula) e produz uma enzima (Acetil-coA) que, por fim, reage com o oxigênio da respiração e produz em torno de 18x mais ATP do que os exercícios anaeróbicos (sem utilização de oxigênio).

620x414
Em seu novo artigo, Ítallo Vilardo trata do exercício aeróbico com o Jiu-Jitsu (Foto divulgação)


Mas como a glicose é uma substância vital para o funcionamento do cérebro, o corpo evita utilizá-la em grande quantidade e, então, passa a utilizar as moléculas de gordura no lugar da glicose para produzir energia. Por isso, o exercício aeróbico consome não só a gordura dos músculos, como também a de outras partes do corpo. A desvantagem da via aeróbica é a sua lentidão, sendo dependente de várias enzimas, de oxigênio e da passagem de piruvato para dentro da mitocôndria. Para funcionar efetivamente, demora de 1 a 2 minutos para ser ativada, e deve ser mantida por um tempo mínimo de 30 minutos para gerar efeito. Os exercícios tipicamente aeróbicos são de longa duração e intensidade moderada.

A descrição acima pode parecer um pouco complexa, mas vocês notaram que ele não fala em qual o exercício em si, mas sim de que maneira ele deve ser feito (longa duração e intensidade moderada). Não encontramos a palavra corrida na descrição de capacidade aeróbica.

Muitos atletas de Jiu-Jitsu procuram a corrida para melhorar a capacidade aeróbica (melhorar o gás), nos treinos, porém, como diz uma das leis do treinamento desportivo: “Os ganhos obtidos em uma atividade são precários em relação a outra”. Não vamos atingir essa melhora de forma significativa utilizando a corrida como auxiliar de treino. Uma analogia muito boa (e que sempre faço nos meus cursos) é a seguinte: pessoas que tem o hábito de pedalar consideram um treino de 20km leve/moderado de bike. Mas elas não conseguiriam fazer o mesmo treino, com a mesma facilidade, utilizando a corrida como meio. Se o ganho obtido na bicicleta não é transferível para a corrida, por que o ganho obtido na corrida será transferível para as lutas?

Ok, então como se treina a parte aeróbica no Jiu-Jitsu? Como melhoro meu gás nos rolas? Simples, treinando Jiu-Jitsu! E não pense que é o famoso “treinar cansado” que vai te ajudar. O que vai te ajudar é organizar seus treinos, criar padrões, controlando o volume e a intensidade do treino. Crie uma tabela de esforço/pausa, com uma correlação do esforço que você faz (tempo do rola) com a pausa (descanso) entre eles. Organize os drills de acordo com o sistema energético que você quer treinar.

Respeite o descanso entre os rolas, faça uma análise do padrão de competição e treine na mesma forma que ele. Quando planejo treinos dos atletas que vão lutar a Copa Podio, por exemplo, levo em consideração que eles podem ficar até 20min esperando entre uma luta e outra, e levo esse tempo de descanso em relação, incluindo (simulando) ele na planilha e deixando o atleta parado por esse tempo, para depois iniciar.

Para quem segue as minhas planilhas de treino, é comum ver a seguinte descrição: “de 30 a 40 minutos de um rola único, solto, leve. Procure movimentar bastante, mas sem explodir”. Esse é um treino totalmente aeróbico, utilizando a luta como exercício para se cumprir o objetivo. Não precisamos correr! Pois aeróbico está relacionado a sistema energético e NÃO a movimento! Tenha isso sempre em mente na montagem do seu ciclo de treinos, controle a intensidade, e entenda que deixar cansado não é o mesmo que deixar treinado!

Alguma dúvida? Pergunte enviando e-mail para itallovilardo@yahoo.com.br ou acesse www.itallovilardo.com