Andresa analisa 'pressão' para conquistar Grand Slam antes do Mundial e projeta ADCC: 'Grande foco'

Mateus Machado

22/06/2016 01:11

Depois de encerrar o ano de 2015 em alta, Andresa Correa iniciou 2016 no mesmo ritmo e conquistou os importantes títulos do Europeu, Pan-Americano e do Brasileiro - três dos principais eventos da IBJJF - no peso e absoluto. Desta forma, a atleta da Alliance chegou para o Mundial, realizado no começo de junho, como uma das grandes favoritas para levar mais um ouro duplo e, assim, conquistar o Grand Slam (o tetra ouro duplo). No entanto, apenas parte da "missão" se completou, e a lutadora de Bragança Paulista levou o ouro em sua categoria, mas na disputa do peso aberto, foi eliminada na semifinal pela casca-grossa Bia Mesquita.

Em entrevista à TATAME, Andresa Correa comentou sobre a pressão e o peso de competir em busca da conquista do Grand Slam, mas assegurou que a situação não influenciou muito em sua atuação durante o campeonato, realizado em Long Beach, na California (EUA), com os principais nomes do esporte.

* Faixas-preta dão show no tatame, e campeões por peso são definidos no Mundial de Jiu-Jitsu; veja
* Buchecha faz história e conquista o tetracampeonato absoluto no Mundial; Dominyka supera Bia

620x412
Andresa Correa garantiu ouro em sua categoria após derrotar Sijara Eubanks (Foto Marcos Santos)


"Sim, essa situação (da possível conquista do Grand Slam) gerou uma expectativa muito grande em torno desse resultado. Fiquei ansiosa, porém não é algo que me deixa incomodada, e também acredito que isso não prejudicou minha atuação no campeonato", declarou Andresa, que agora projeta foco no próximo ADCC.

Confira a entrevista completa com a atleta da Alliance:

- Derrota para Bia Mesquita na semifinal do absoluto

A Bia Mesquita é uma excelente lutadora e soube aproveitar minhas falhas impondo o jogo dela. Ela começou melhor na luta, não dando chances para me recuperar na sequência. Enfim, aprendi muito com a derrota.

- Maior desafio na disputa da sua categoria (meio-pesado)

Na minha categoria de peso, realmente, o maior desafio foi a final, pois a Sijara Eubanks (adversária) é uma lutadora muito dura e guerreira. Porém, eu estava muito focada e querendo demais o terceiro título mundial, e abri uma pontuação grande até o meio da luta. Depois, eu só administrei até o final para ganhar mais um título.

620x520
Andresa Correa ainda projetou as disputas do Mundial No-Gi e do ADCC 2017 (Foto FloGrappling)


- Incômodo e pressão para conquistar o Grand Slam

Sim, essa situação (da possível conquista do Grand Slam) gerou uma expectativa muito grande em torno desse resultado. Fiquei ansiosa, porém não é algo que me deixa incomodada, e também acredito que isso não prejudicou minha atuação no campeonato. Não veio o ouro duplo que eu queria, mas certamente valeu a pena.

- Próximas competições em 2016 e foco no ADCC 2017

Ainda quero participar de outras competições este ano, mas meu foco principal, sem dúvida, é o Mundial No-Gi. É uma competição muito importante e quero buscar meu terceiro título mundial No-Gi na disputa desse ano. Fora os campeonatos principais da IBJJF, que são disputados nos primeiros meses do ano, o ADCC é uma das principais metas para o ano que vem, pois nunca participei e tenho muita vontade de ser campeã do maior evento de submission do mundo. É um dos meus grandes focos para o ano que vem, com certeza.