Destaque no Mundial 2016, Lucas Lepri comemora tri e exalta nova geração: 'Vão dar trabalho'

Diogo Santarém

05/07/2016 06:00

Realizado no início de junho, na Califórnia (EUA), o Mundial de Jiu-Jitsu 2016 da IBJJF contou com grandes momentos e lutadores fazendo história no tatame, e um desses nomes foi o do faixa-preta Lucas Lepri, que conquistou o tricampeonato no peso-leve. Com uma campanha irretocável, Lepri atropelou os seus adversários e não teve dificuldades para repetir o feito já realizado por ele em 2007 e 2014.

Em entrevista à TATAME, o lutador da Alliance comemorou bastante a conquista e exaltou a importância do trabalho em equipe para o seu resultado pessoal, destacando ainda a batalha contra JT Torres nas semifinais e os nomes para ficar de olho da nova geração da Alliance.

"Com certeza o Nicholas Meregali, aluno do Mário Reis, e o Isaque Bahiense, eles estão muito bem. Esses dois na faixa marrom estão se destacando bastante, e com certeza logo logo vão pegar a preta e brilhar também", apostou Lucas.

* Faixas-preta dão show no tatame, e campeões por peso são definidos no Mundial de Jiu-Jitsu; veja
* Alliance se destaca e conquista 11º título por equipes no Mundial; veja outras equipes premiadas

620x413
Lucas Lepri teve excelente campanha no Mundial, derrotando Najmi na final (Foto IBJJF)


Confira a entrevista completa com a fera Lucas Lepri:

- Sensação de conquistar o tricampeonato Mundial de Jiu-Jitsu

Sensação indescritível, fiquei muito feliz, é o terceiro Mundial seguido chegando na final. É muito bom, eu venho treinando muito focado, e eu sabia que ia chegar muito bem do jeito que eu tava. Fiz um camp muito bom, o suporte de vários amigos da Alliance que me ajudaram bastante, dos meus alunos, então esse suporte do todo foi muito importante. O meu coach da parte física ficou aqui um tempão também, e a presença dele aqui foi muito importante. Então, cheguei lá focado.

- Foco no gás e superioridade em relação aos seus adversários 

Eu trabalhei bastante não perder posição, a parte em pé também, mas também foquei muito na minha guarda. Na maioria das minhas lutas eu puxei, trabalhei puxando pra guarda e finalizando na omoplata. Com o JT também foi uma luta muito dura, trocando em pé, mas no final eu puxei e acabei vencendo. Então eu estava muito confiante também na parte de guarda, e até na final eu fiz isso, realizando a raspagaem. A parte física eu sempre deixo forte, gosto de trabalhar bem esse ponto para não faltar gás no final da luta. Acho que esse gás extra no finalzinho fez a diferença.

620x413
Lepri finalizou a revelação Edwin Najmi para faturar o tri entre os leves (Foto IBJJF)


- Campanha e duelo mais difícil no Mundial de Jiu-Jitsu 2016

Com certeza foi o duelo contra o JT Torres, na semifinal. Eu vi que eles traçaram uma estratégia para me segurar em pé, sem tentar muitos ataques, para o juiz dar as penalizações e para deixar pro final e puxar para guarda. Senti isso, e chegou no final eu tive que puxar para não sermos desqualificados, e deu tudo certo. Eu escutei os caras falando 'é agora', e percebi que a estratégia era essa. Ele não tentava nada em cima, só eu atacava, e ele esperando essa hora para puxar pra guarda, caindo por cima. A decisão foi com Edwin Najmi, talento que está chegando, um garoto perigoso, você não pode errar que ele dá o bote, então eu lutei bem justo com ele pra não dar chance pra ele.

- Mais um título da Alliance e importância da equipe para você
É um trabalho realizado em equipe, estamos sempre em contato, perguntando quem está melhor, em alta, então é um processo em conjunto. Então, quando o time vai lá e ganha, é um orgulho enorme, um trabalho que já vem sendo feito há anos. Sou muito grato por poder fazer parte dessa família.