Faixas-preta dão show no tatame, e campeões por peso são definidos no Mundial de Jiu-Jitsu; veja

Tatame

06/06/2016 02:45

A tradicional Pirâmide de Long Beach, na Califórnia (EUA), recebeu neste domingo (5) o último dia do Mundial de Jiu-Jitsu 2016, com grandes emoções e duelos épicos para o fã da arte suave. As disputas da competição, organizada pela IBJJF, ficaram concentradas entre os faixas-preta, que tiveram seus campeões consagrados por categoria no masculino e no feminino, além do absoluto, com vitórias para Marcus Buchecha e Dominyka Obelenyte, que garantiram o ouro duplo no Mundial deste ano, com duas excelentes campanhas.

* Buchecha faz história e conquista o tetracampeonato absoluto no Mundial; Dominyka supera Bia

Nas disputas pelas divisões de peso, destaques para Bruno Malfacine, que derrotou Caio Terra por 2 a 0 nas vantagens e sagrou-se octacampeão mundial no peso-galo, Rafael Mendes, que superou Márcio André por 2 a 1 nas vantagens e conquistou o hexacampeonato em Mundiais na divisão dos penas, e Leandro Lo, que derrotou Romulo Barral por 5 a 0 nos pontos e foi campeão meio-pesado. Ao final da luta, Barral, em grande gesto, amarrou a faixa na cintura de Lo, em sinal de que está se aposentando dos Campeonatos Mundiais.

* Meregali e Nathiely Jesus faturam ouro duplo e brilham na faixa-marrom no Mundial de Jiu-Jitsu 2016
* Victor Hugo e McComb conquistam ouro duplo na faixa-roxa e brilham no segundo dia do Mundial
* Título de Kennedy Maciel e ouro duplo de Duzão Lopes marcam primeiro dia do Mundial 2016; veja

Finais faixa-preta masculino

Ciente de que poderia fazer história conquistando o seu oitavo título em Mundiais, Bruno Malfacine teve pela frente o "velho conhecido" Caio Terra na decisão dos galos. Em mais um encontro entre os lutadores, o lutador da Alliance utilizou bem sua estratégia, soube conter as investidas de Caio e, através de um legdrag, abriu duas vantagens. Na parte final, Terra buscou a raspagem por baixo, todavia, Bruno mais uma vez manteve-se calmo, segurou seu oponente e, desta forma, sagrou-se octacampeão mundial, um fato inédito na arte suave.

960x639
Bruno Malfacine fez história e conquistou octacampeonato mundial na carreira (Foto IBJJF)


Entre os plumas, Paulo Miyao teve pela frente Ary Farias, que após vencer luta de MMA em março deste ano, voltou a competir no Jiu-Jitsu. Após um início sem maiores destaques, a parte final do combate agitou o público presente na Pirâmide. Com uma tentativa de omoplata de Paulo e leglock por parte de Ary, o confronto ficou aberto, e o Miyao levou a melhor, vencendo por 4 a 2 nos pontos e sagrando-se campeão mais uma vez.

O experiente Rafael Mendes e o novato Márcio André travaram uma grande disputa na decisão dos penas. Marcinho foi construindo sua vantagem e, através de suas raspagens, vinha se tornando o campeão. No entanto, fazendo valer sua maior bagagem na arte suave, Rafa igualou as ações nos momentos finais da luta, aplicou duas vantagens e grudou nas costas de André, evitando qualquer outra investida do adversário. Sendo assim, Rafael conquistou seu hexacampeonato em Mundiais da IBJJF, e Márcio - cria da equipe Nova União - provou que pretende ser um grande postulante ao título da divisão nas próximas edições da competição.

960x639
Rafael Mendes superou a fera Marcio André e agora é hexampeão mundial (Foto IBJJF)


Em mais um confronto entre um experiente e um novato, mais uma vez o toque de experiência falou mais alto, desta vez entre os leves. Com uma atuação excepcional, Lucas Lepri fez boas passagens e chegou a abrir 12 a 0 contra Edwin Najmi, mas nos últimos segundos, encontrou a brecha e finalizou nas costas, conquistando pela terceira vez um título mundial em sua carreira. Antes, o atleta mineiro já havia vencido em 2007, 2014.

Na final do peso-médio, Otavio Sousa e Gabriel Arges, ambos crias da Gracie Barra, evitaram entrar em ação e fecharam o duelo, com o ouro ficando com Otavio. O fechamento foi o único nas finais na faixa preta.

Na categoria meio-pesado, um dos momentos mais especiais do último dia do Mundial 2016. Em mais um grande duelo, Leandro Lo usou e abusou das raspagens, abrindo 5 a 0 sobre Romulo Barral ainda na parte inicial de luta. Nos minutos finais, Lo administrou de forma estratégica sua vitória e levou mais um título mundial para seu currículo. No fim, em gesto emocionante, Rominho anunciou sua aposentadoria do Mundial.

960x639
Lo derrotou Barral em grande luta, que marcou despedida de Romulo em Mundiais (Foto IBJJF)


Com uma grande campanha, após eliminar competidores importantes, Jackson Sousa fez o "teste final" com André Galvão na decisão dos pesados. Em uma disputa bastante equilibrada, melhor para o líder da Atos Jiu-Jitsu, que ficou na guarda fechada e chegou a esboçar alguns ataques. Desta forma, os árbitros deram a vitória para Galvão, o que gerou discordância de Jackson, que pediu uma vantagem a seu favor. Com o triunfo, o multicampeão André - que passou um ano focado no ADCC - chega a quatro títulos mundiais na sua carreira.

Entre os super-pesados, Léo Nogueira teve pela frente o surpreendente Alex Ceconi. Após um princípio de luta disputado, Léo utilizou boas raspagens e abriu duas vantagens, e logo depois, buscou a meia-guarda para conter os ataques de Alex, saindo com o ouro em mais um Mundial. Já nos pesadíssimos, antes de derrotar Erberth Santos na final do absoluto, a fera Marcus Buchecha teve pela frente a surpresa James Puopolo. Com uma movimentação incrível, o atleta da CheckMat nem parecia estar voltando de lesão - após um ano afastado dos tatames -, e finalizou o lutador americano com um belo armlock em cerca de 3 minutos de combate.

Finais feminino faixa-preta

O primeiro ouro no feminino faixa-preta veio com Rikako Yuasa no peso-galo. Em uma bela atuação, a japonesa chegou a abrir 14 a 4 contra Outi Järvilehto, mas ainda encontrou tempo para finalizar a finlandesa nas costas. Logo na sequência, Gezary Matuda voltou a dar show no Mundial e, em duelo contra Kristina Barlaan, abriu vantagem e, com um bom ataque duplo, finalizou, conquistando o tricampeonato nos plumas.

960x639
Bia Mesquita superou Sarah Black e agora é pentacampeã em sua divisão (Foto IBJJF)


Na final da categoria peso-pena, Mackenzie Dern e Michelle Nicolini travaram uma disputa bem atrativa para o público. Após uma briga intensa nas raspagens, a filha de Megaton Dias pegou o braço de Michelle em uma omoplata, e ainda utilizou a gola para estrangular e sair vencedora, conquistando mais um título para sua carreira vitoriosa. Após o revés, Nicolini - conforme havia feito anteriormente -, reforçou a sua aposentadoria da arte suave, já que agora a faixa-preta se muda para Singapura para focar em seu retorno ao MMA.

Na categoria peso-leve, antes de enfrentar Dominyka no absoluto, Bia Mesquita não teve dificuldades para derrotar Sarah Black por 7 a 0 nos pontos e conquistar seu pentacampeonato na categoria. Na divisão dos médios, por sua vez, as coisas mudaram de figura. Monique Elias e Luiza Monteiro fizeram um combate cheio de alternativas, que terminou com o resultado positivo e o título da lutadora da Alliance, após um 10 a 10.

620x413
Em 2015, Andresa faturou o ouro no peso no Europeu, Pan, Brasileiro e, agora, Mundial (Foto IBJJF) 


Entre os meio-pesados, Sijara Eubanks bem que tentou surpreender Andresa Correa, mas com calma, a atleta da Alliance caiu por cima e abriu 2 a 0, e posteriormente partiu para as costas da oponente e fechou o combate com 10 a 0. Mais um título para Andresa, que já havia vencido no peso o Europeu, Pan-Americano e o Brasileiro neste ano. Em nova luta equilibrada no feminino, desta vez nos pesados, Fernanda Mazzelli abriu a contagem com 2 a 0, mas Alison Tremblay se recuperou e, com uma raspagem, igualou as ações. No final, vitória para Mazzelli por decisão dos árbitros, que chegou à sua terceira medalha de ouro na competição.

Fechando as lutas das categorias no feminino faixa-preta, um verdadeiro show de Dominyka Obelenyte no super-pesado. Antes de derrotar Bia Mesquita no absoluto, a lituana teve pela frente Venla Luukkonen e, com uma estratégia bem ofensiva, venceu por incríveis 33 a 0 nos pontos. Dominyka, pupila da fera Marcelinho Garcia, segue cada vez mais em evidência nas disputas na faixa-preta, e novamente brilhou no evento.

* Alliance se destaca e conquista 11º título por equipes no Mundial; veja outras equipes premiadas
* Confira os resultados completos, por equipes e em todos os pesos e faixas, do Mundial de Jiu-Jitsu

Confira os campeões de cada peso na faixa preta no Mundial 2016:

- Masculino

Peso-galo: Bruno Malfacine derrotou Caio Terra por 2 a 0 nas vantagens (0 a 0 nos pontos)
Peso-pluma: Paulo Miyao derrotou Ary Farias por 4 a 2 nos pontos
Peso-pena: Rafael Mendes derrotou Marcio André por 2 a 1 nas vantagens (8 a 8 nos pontos)
Peso-leve: Lucas Lepri finalizou Edwin Najmi nas costas
Peso-médio: Otávio Sousa ficou com o ouro após fechar com Gabriel Arges
Peso-meio-pesado: Leandro Lo derrotou Romulo Barral por 5 a 0 nos pontos
Peso-pesado: André Galvão derrotou Jackson Sousa por decisão dos árbitros (2 a 2 nos pontos)
Peso-super-pesado: Léo Nogueira derrotou Alex Ceconi por 2 a 0 nas vantagens
Peso-pesadíssimo: Marcus Buchecha finalizou James Puopolo no armlock

- Feminino

Peso-galo: Rikako Yuasa finalizou Outi Järvilehto no estrangulamento
Peso-pluma: Gezary Matuda finalizou Kristina Barlaan no ataque duplo
Peso-pena: Mackenzie Dern finalizou Michelle Nicolini no estrangulamento com omoplata
Peso-leve: Beatriz Mesquita derrotou Sarah Black por 7 a 0 nos pontos
Peso-médio: Monique Elias derrotou Luiza Monteiro por decisão unânime (10 a 10 nos pontos)
Peso-meio-pesado: Andresa Correa derrotou Sijara Eubanks por 10 a 0 nos pontos
Peso-pesado: Fernanda Mazzelli derrotou Alison Tremblay por decisão dos árbitros (2 a 2 nos pontos)
Peso-super-pesado: Dominyka Obelenyte derrotou Venla Luukkonen por 33 a 0 nos pontos