Tricampeão absoluto do Pan de Jiu-Jitsu, Bê Faria relembra luta com Lo: 'Medo de perder me ajuda'

Diogo Santarém

30/03/2016 03:30

620x424
Voltando de lesão, Bernardo Faria foi um dos destaques do Pan-Americano (Foto Alex Barcelona photography)

Realizado entre os dias 17 e 20 de março, na Califórnia (EUA), o Pan-Americano de Jiu-Jitsu 2016 da IBJJF coroou Bernardo Faria como grande campeão do absoluto masculino, após o mineiro finalizar suas cinco lutas, inclusive na decisão contra a fera Leandro Lo.

O título foi o terceiro absoluto de Bernardo no evento, feito comemorado pelo faixa-preta. Em entrevista à TATAME, o atleta da Alliance - que estava sem lutar desde agosto do ano passado, quando se lesionou às vésperas do ADCC - comentou sobre sua trajetória e destacou seu duelo contra Lo, adversário que ele também derrotou na final do absoluto do Pan em 2015.

"Acredito que todas as lutas foram um desafio grande, mas sem dúvida lutar com o Leandrinho é sempre uma expectativa muito grande. Eu venho conseguindo lutar bem com ele, mas sei que a qualquer momento a luta pode ir para um caminho diferente. Vejo ele lutando com outros oponentes e ganhando de todo mundo, às vezes até com facilidade. Estou muito feliz de estar lutando bem contra ele. Tem gente que vem falar comigo 'parece que é fácil'. Não é fácil. Entro para lutar com ele com um medo de perder 'danado', pois sei que qualquer vacilo a luta pode ir para um caminho diferente", afirmou.

* Bernardo Faria volta a derrotar Lo e é campeão absoluto do Pan; Andresa brilha e leva ouro duplo
* Fábio Gurgel exalta campanha da Alliance no Pan de Jiu-Jitsu, Bernardo Faria e Andresa Correa

Confira o bate-papo com Bernardo Faria abaixo:

- Sentimento ao retornar de lesão e conquistar o tri absoluto no Pan-Americano

Foi uma felicidade muito grande eu poder retornar às competições e vencer o Pan, ainda mais da maneira que eu venci: finalizando todas as cinco lutas. Eu não sei se alguém conseguiu isso, então foi bem legal e fiquei muito feliz. Acho que ninguém tinha ganho o absoluto do Pan três vezes também, e isso é muito legal, eu estar escrevendo uma parte da história do Jiu-Jitsu, é muito gratificante. Fazia um tempo que eu não competia, o meu último torneio foi o Mundial de 2015 da IBJJF, e eu ter lutado tão bem foi bastante motivante para mim.

- Trajetória na conquista do absoluto e reencontro com Leandro Lo na decisão

Acredito que todas as lutas foram um desafio grande, mas sem dúvida lutar com o Leandrinho é sempre uma expectativa muito grande. Eu venho conseguindo lutar bem com ele, mas sei que a qualquer momento a luta pode ir para um caminho diferente. Vejo ele lutando com outros oponentes e ganhando de todo mundo, às vezes até com facilidade. Estou muito feliz de estar lutando bem contra ele. Tem gente que vem falar comigo 'parece que é fácil'. Não é fácil. Eu entro para lutar com ele com um medo de perder 'danado', pois sei que qualquer vacilo que eu der a luta pode ir para um caminho diferente, então preciso estar atento sempre.

620x413
Bernardo Faria voltou a derrotar Leandro Lo para conquistar título absoluto no Pan (Foto IBJJF)


* Lo analisa revés na final do absoluto do Pan-Americano para Bê Faria: 'Deixei ele chegar demais'

- Nova vitória contra Leandro Lo e segredo para derrotar o paulista casca-grossa

Não tem segredo, não. Acho que estou em uma fase boa da minha carreira e o meu jogo também combina bastante com o dele, então acho que as minhas posições fazem bastante sentido com as dele. Por exemplo: eu reparo que o jogo dele funciona bem para quem passa a guarda em pé porque ele acaba se embolando, entra por baixo e acaba raspando. Eu passo mais a guarda de joelho, então acho dá uma complicada nele. O segredo é treinar muito e uma coisa que me ajuda é que eu sempre acho que posso perder para ele. Eu nunca entro lutando contra ele tendo a certeza que vou vencer. Sempre entro humilde e tendo na minha cabeça que qualquer vacilo que eu der ele pode terminar a luta. Entro focado, pensando em fazer tudo certo e não errar em momento nenhum. Acho que ele é um dos melhores lutadores da atualidade e da história do Jiu-Jitsu Ele ganhou quatro Mundiais em três categorias diferentes, chega na final de todos absolutos, tenho que respeitar.

- Decisão de abrir mão e não lutar no seu peso para focar apenas no absoluto

Dez dias antes do Pan eu machuquei minha costela e é uma lesão muito chata, pois é um tipo que a qualquer momento pode piorar e você pode ficar um bom tempo sem treinar. Eu sei disso, pois já machuquei outras vezes. Tive que parar de treinar por baixo e foi um sacrifício poder estar lá. O meu maior medo era eu ir para a final do absoluto e não conseguir lutar. Acabou que terminei o primeiro dia com a costela doendo, mas vi que dava para lutar no domingo. Não quis correr o risco de fazer três lutas na minha categoria contra três super-pesados e aí sim não ter condição de lutar na final do absoluto, que era o meu foco. Eu achei melhor pular e ir só para o absoluto. Eu ouvi bastante gente falando que eu optei para ficar descansado na luta contra o Lo, não foi isso, eu treino muito Jiu-Jitsu e não faço isso descansado. Foi realmente um medo de não poder fazer a final no absoluto, pois talvez eu iria ter que puxar para a guarda em todas as lutas, minha costela podia estourar e eu ficar fora de treino alguns meses e também do Mundial, algo que definitivamente eu não quero.

- Desempenho avassalador no Pan vencendo todas as lutas por finalização

Acho que tudo isso é reflexo da vida que estou tendo. Comecei Jiu-Jitsu na minha cidade onde eu tive uma base muito boa, fiquei da faixa branca até a preta com meu professor Ricardo Marques, em Juiz de Fora (MG). Depois me mudei para São Paulo, treinei com o Fábio Gurgel e com todos os campeões que tinham lá na Alliance, então foi muito bom para o meu Jiu-Jitsu também. Aí vim para Nova York, estou treinando com o Marcelinho Garcia e todos os alunos dele estão voando agora, todos eles pegaram a faixa preta. Provavelmente é maior academia de Jiu-Jitsu atualmente. Além disso, estou fazendo Wrestling em um lugar que é um dos melhores aqui da East Coast, que é onde treina o Frankie Edgar, Rafael Sapo, é muito bom. Estou fazendo preparação física, provavelmente com um dos melhores do mundo, o KP. Ele trabalha com uma garota que é a melhor escaladora do mundo. Estou aproveitando ao máximo essa oportunidade, estou praticamente tendo vida de casado, vivo junto com a minha namorada, não faço festa, não saio, durmo e me alimento bem. Isso tudo é reflexo e estou em uma fase muito boa da minha carreira, na qual pretendo seguir.

- Planos para o restante da temporada após o título absoluto no Pan-Americano

Ainda estou decidindo qual será o próximo campeonato que vou participar, mas acredito que será o Mundial da IBJJF. Não tenho certeza do World Pro de Abu Dhabi, mas meu foco é o Mundial. Eu ainda estou resolvendo.