Após comprar briga de doping com o UFC, Hunt se rende: 'Vou deixar minha família morrer de fome?'

Tatame

06/01/2017 11:34

Com duelo marcado diante de Alistair Overeem no dia 4 de março, pelo UFC 209, em Las Vegas (EUA), Mark Hunt voltará ao octógono após travar uma intensa disputa com o Ultimate. Isto porque, em sua última luta, realizada em julho do ano passado, o lutador teve pela frente o gigante Brock Lesnar e, após o duelo, que inicialmente terminou com vitória de Lesnar por decisão unânime, foi anunciado que Brock havia testado positivo em dois exames antidoping, antes e depois do UFC 200, evento em que eles se enfrentaram.

* USADA mantém posição da NAC e suspende Lesnar por um ano após caso de doping; saiba mais

O fato gerou a revolta de Hunt, que desde então, passou a exigir em seu contrato que, se o seu adversário fosse flagrado no doping, parte da bolsa ou todo o dinheiro destinado ao oponente deveria ser revertido para ele. O Ultimate não concordou com o que foi proposto por Mark, que com isso, começou a pensar na possibilidade de entrar com uma ação judicial contra o UFC e Brock Lesnar. No entanto, sem obter vantagem na "disputa" com a organização em busca de uma proteção em seu contrato, o neozelandês aceitou o confronto contra Overeem, outro atleta com antecedentes no que se refere ao doping, já tendo sido flagrado.

* Relembre: Hunt cobra 'cláusula antidoping', UFC nega, e lutador responde: 'Ou mudam ou me liberam'

620x413
Mark Hunt tem duelo marcado após travar disputa com o Ultimate (Foto Cooper Neill / Zuffa LLC)


"Pense na minha posição, eu não tinha outra opção. Não posso trabalhar em nenhum outro lugar, então o que eu devo fazer? Deixar a minha família morrer de fome?", questionou Mark Hunt, em entrevista ao site Stuff.

Após saber que Brock Lesnar havia sido flagrado em dois exames antidoping, Mark Hunt passou a exigir seus direitos e, desde então, recusou outros confrontos que lhe foram oferecidos no UFC, o que fez com que o atleta deixasse de receber uma boa quantia em dinheiro. Todavia, sem lutar desde julho, "The Super Samoan" se viu obrigado a dar uma "trégua" na disputa com o UFC para não ter problemas financeiros futuramente.

"Em seis meses, eu já deixei de disputar algumas lutas, eu já perdi milhões de dólares. No final das contas, eu fiquei com a minha palavra, mas eu não tenho nenhuma opção, eu estou em um contrato que eu não posso sair. Todas as portas pelas quais eu passei estão fechadas, e não é como se eu pudesse ir trabalhar em outro lugar. Há muito tempo eu estava alegremente pronto para ir embora e trabalhar em outro lugar, mas eles não permitiriam", desabafou o Hunt, que não ficou satisfeito com a punição aplicada a Brock Lesnar, que foi suspenso por um ano e multado, além de ter a luta no UFC 200 alterada para "No Contest" (Sem Resultado).

"Nunca achei que a pena da comissão de Nevada tivesse sido dura o bastante. Ele foi penalizado em 250 mil dólares, mas ele ganhou 2 milhões na luta. Então como essa multa vai realmente o atingir? Os dopados devem ser atacados desde o histórico e tirar tudo deles. Eles não merecem receber um centavo. Esse esporte já é duro o bastante. Quando você coloca substâncias dopantes, usá-los os torna ainda pior", concluiu Hunt.