MMA

Thiago Manchinha finaliza Filipe Jesus e fatura cinturão dos penas no Shooto Brasil 73; veja os resultados

O Shooto Brasil realizou sua quinta edição em 2017, a terceira em um espaço de um mês, na noite do último domingo (28), no Rio de Janeiro. E na luta principal da noite, o cinturão dos penas esteve em disputa. Filipe Jesus e Thiago Manchinha protagonizaram um grande duelo, com Manchinha levando a melhor por finalização e faturando o título que era de Felipe Froes, hoje se dedicando à carreira internacional. O evento, que contou com diversos nocautes, teve ainda a surpreendente vitória, também por finalização, de Claudiere Freitas sobre o faixa-preta Fernando dos Santos. A próxima edição do evento ainda não tem data confirmada, mas segundo Dedé Pederneiras, presidente do Shooto Brasil, deve acontecer no novo CT da equipe Nova União, que será inaugurado em breve.

Manchinha não dá chances a Jesus e leva título; Claudiere surpreende e finaliza

O cinturão dos penas foi colocado em disputa na luta principal do Shooto Brasil 73 após o ex-campeão Felipe Froes assinar contrato com um evento da Rússia e abrir mão do objeto. Enquanto Filipe Jesus lutava para manter o título na Nova União, Thiago Manchinha tinha sua segunda chance de conquistá-lo, já que já havia sido derrotado pelo próprio Froes em uma luta equilibrada na edição 54. E ele não demorou para mostrar que não deixaria uma nova chance passar. Com um início agressivo, Manchinha logo botou Jesus para baixo e, montado, conseguiu bons golpes até o mineiro sucumbir a um justo mata-leão, que botou fim no duelo entre os pesos-penas.

313015_706369_img_3269
Thiago Manchinha venceu Filipe Jesus e é o novo campeão dos penas do Shotoo Brasil (Foto Natalino Werneck / Werneck Produções)

“Estou sem palavras. Há dois anos eu estava aqui disputando o cinturão, fiz uma boa luta, mas perdi. Eu sabia que tinha algo guardado para mim e hoje graças a todos que me apoiam deu tudo certo, consegui fazer o que tinha planejado e sou o campeão do Shooto Brasil”, festejou Manchinha.

Na co-luta mais importante do show, o experiente Claudiere Freitas e o faixa-preta de Jiu-Jitsu Fernando dos Santos ficaram frente a frente. E o resultado foi surpreendente. Especialista na luta em pé, Claudiere se aproveitou de uma falha de Fernando para encaixar uma justa chave de calcanhar ainda nos minutos iniciais e decretar a vitória com uma bela finalização.

313015_706371_img_2983
Claudiere encaixou um belo mata-leão após dominar o round inicial do duelo contra Fernando (Foto Natalino Werneck / Werneck Produções)

O momento triste da noite ficou por conta do resultado do duelo entre Ismael Bonfim e Glaucio Eliziário, o Salvamar. Com apenas 30 segundos de luta, o atleta da Nova União sofreu uma queda e lesionou gravemente o braço direito, forçando o árbitro a interromper a luta e dar a vitória a Ismael. Membro da Kimura Nova União, o potiguar Carlão Silva superou Roger Paralelepípedo por nocaute no terceiro round após um domínio completo do duelo. Já Wanderson Marinho e Alexandre Lek Lek fizeram um combate mais morno. Depois de um início equilibrado, Alexandre mostrou mais coração e tomou as rédeas do confronto no último round para vencer na decisão dividida.

Nocaute relâmpago e triunfo de promessa da Nova União marcam lutas iniciais

Um dos destaques das primeiras lutas do card foi Vinicius Salvador, que levou a melhor sobre Lucas Ananias com um nocaute relâmpago com apenas 25 segundos. Nome conhecido do Shooto Brasil, Luan Danger levou a galera ao delírio com atuação dominante sobre Victor Sombra, que terminou com vitória por nocaute técnico no segundo round. Já uma das promessas da Nova União, o carioca Kauã Fernandes também fez o público vibrar no Clube Hebraica Rio. Com um jogo de pé muito afiado, ele massacrou Luiz Arthur até conseguir a finalização via mata-leão no segundo assalto.

As mulheres também deram show de disposição na luta entre Amanda Torres e Aline Serio. No fim, melhor para Torres, que mostrou grande repertório na luta de solo e venceu por decisão dividida. Assim como Paulo Zé Doido, que também demonstrou muita raça e venceu Severo Aranha. No duelo que abriu o card principal, Carlos Motta, com uma atuação segura, superou Elves Oliveira por nocaute técnico. O Shooto Brasil 73 contou ainda com duas lutas amadoras e quem chamou atenção foi Michele Oliveira, que finalizou Valdirene Oliveira em menos de um minuto de combate.

RESULTADOS COMPLETOS:

Shooto Brasil 73

Card principal
Thiago Manchinha finalizou Filipe Jesus com um mata-leão no 1R
Claudiere Freitas finalizou Fernando dos Santos com uma chave de calcanhar no 1R
Ismael Bonfim derrotou Glaucio Eliziário por nocaute técnico (interrupção médica) no 1R
Carlão Silva derrotou Roger Paralelepípedo por nocaute técnico no 3R
Alexandre Lek Lek derrotou Wanderson Marinho por decisão dividida dos jurados
Vinicius Salvador derrotou Lucas Ananias por nocaute técnico no 1R
Luan Danger derrotou Victor Sombra por nocaute técnico no 2R
Kauã Fernandes finalizou Luiz Artur com um mata-leão no 2R
Paulo Zé Doido derrotou Severo Aranha por decisão dividida dos jurados
Amanda Torres derrotou Aline Serio por decisão dividida dos jurados
Carlos Mota derrotou Elves Oliveira por nocaute técnico no 2R

Card amador
Alexandre Silva derrotou Marcos Silva por decisão majoritária dos jurados
Michele Oliveira finalizou Valdirene Oliveira com um mata-leão no 1R

Deixe uma resposta