Coluna Jiu-Jitsu

Coluna Treino Certo: a importância do ‘calendário competitivo’ para um atleta de alto rendimento; confira

Por Ítallo Vilardo 

Nas últimas semanas de abril, muitos atletas me procuraram para começar a preparação física para o Mundial de Jiu-Jitsu da IBJJF. Porém, eu acharia ótimo se eles estivessem pensando no campeonato que será realizado em 2018, pena que era para o evento de 2017 mesmo.

Devemos entender que o nosso corpo consegue ser programado como se fosse uma máquina, só que, para isso, precisamos de tempo. Não geramos benefícios fisiológicos em pouco tempo, precisamos de uma boa organização para podermos evoluir nos quesitos de resistência, força, velocidade, potência… A maioria dos atletas me procurou ainda no final de 2016 para começarem a se preparar para o Mundial do ano seguinte. E mesmo assim, o tempo estava apertado.

itallovilardo
Em seu novo artigo, Ítallo Vilardo fala sobre a importância do calendário competitivo (Foto divulgação)

A evolução deve vir com anos de treino. Não é à toa que tenho atletas que trabalham comigo há oito anos ou mais. Podemos tirar como exemplo o Judô, onde vemos atletas dizendo que estão se preparando para as Olimpíadas três anos antes, em alguns casos, até antes mesmo do ciclo olímpico. Na Olimpíada do Rio 2016, tinham atletas que estavam se preparando para o ciclo de 2020.

Para os atletas que eu já acompanho há alguns anos (já conheço todo o lastro dele e as fases de treinos por quais passamos), consigo colocá-los voando em média de quatro meses. Hoje em dia, temos muitas competições ao longo de um ano. As principais competições da CBJJ/IBJJF acontecem no primeiro semestre do ano, assim como o Wolrd Pro, da UAEJJF. Além disso, ainda temos diversos Opens acontecendo, praticamente um por semana durante quase toda a temporada.

Saber organizar o calendário é fundamental para podermos ter um bom desempenho. Não podemos esperar ter um excelente rendimento em todas as competições ao longo de um grande período, pois não conseguimos nos manter na nossa melhor forma por muito tempo, o corpo não aguenta. Com isso, devemos escolher as competições que serão usadas como “teste”, para saber como nosso corpo vai reagir de acordo com a demanda do nosso treino, visando os torneios principais.

Se estamos trabalhando em um período de ganho de força pura e aumento da resistência aeróbica, não podemos esperar que estejamos explosivos na competição teste desse período. Podemos esperar uma boa demanda de força física, porém, sem conseguirmos explodir muito, é uma resistência um pouco mais baixa que o normal. Com isso, a escolha certa da estratégia para essa determinada competição teste é fundamental. E a resposta dada pelo corpo também vai ser muito importante para o resto do período de treinos, por isso chamamos de “competição teste”.

Devemos ter muito cuidado também com a manutenção e perda de peso. Nosso corpo não aceita perdas de peso seguidas, e com isso, ele simplesmente “trava”. Tentar bater peso duas ou três vezes em um espaço pequeno (30/40 dias) não é saudável e vai nos fazer muito mal, com certeza.

Converse com seu preparador físico e com seu nutricionista. Trace um bom calendário competitivo, não deixe nada para cima da hora. O treino forte deve ser bem antes do período principal do calendário competitivo. Lembre-se: “treino duro, luta dura! Treino certo, luta fácil”. Esse é o lema!

Itallo Vilardo – preparador físico especializado em lutas, faixa Preta 3º Grau
www.itallovilardo.com – itallovilardo@yahoo.com.br

um comentário

Deixe uma resposta