MMA UFC

Erick revela intercâmbio na Alemanha, cita evolução em seu jogo e analisa luta contra Medeiros: ‘Ele vai cair’

Por Mateus Machado

ericksilvamediaday
Erick Silva vem de período de treinamentos nos Estados Unidos e na Alemanha (Foto Getty Images)

Vindo de vitória contra Luan Chagas, em setembro do ano passado, pelo UFC Brasília, Erick Silva terá mais um desafio pela frente. Em busca do segundo triunfo seguido, o brasileiro vai enfrentar Yancy Medeiros no card principal do UFC 212, que está marcado para acontecer no próximo sábado (3), no Rio de Janeiro. Atualmente com 32 anos, o capixaba luta pelo Ultimate desde 2011 e, desde então, colecionou altos e baixos pela organização. Todavia, sentindo-se mais experiente e em evolução no seu jogo, Erick afirma que é o momento de emplacar uma sequência positiva pela franquia.

Sem figurar o ranking meio-médio do Ultimate, Erick Silva considera que uma série de vitórias fará com que a oportunidade de figurar entre os principais lutadores da categoria apareça. Desta forma, o lutador vem de uma intensa preparação na Alemanha, onde procurou reforçar seu jogo de trocação. Além disso, o capixaba também passou um período nos Estados Unidos, onde afiou seu jogo de chão com Renzo Gracie e com os irmãos Mendes, referências na arte suave.

“Na verdade, o que eu pretendo mesmo, a partir de agora, é fazer intercâmbios em vários lugares para poder acrescentar coisas novas ao meu jogo. Eu passei um tempo nos EUA e fiquei um período na academia do Renzo Gracie, aprendi muita coisa lá. Depois eu fui para a Califórnia e fiquei um tempo na academia dos irmãos Mendes, então eu dei um “up” no meu Jiu-Jitsu também. Agora eu fui para Alemanha, aprender um pouco da parte em pé, depois dessa luta (contra Yancy Medeiros), estou pretendendo ir para a Tailândia focar um pouco novamente na parte em pé”, disse Erick.

Confira a entrevista com Erick Silva na íntegra:

– Preparação na Alemanha e busca por evolução

Eu fui para a Alemanha e eu fui especificamente fazer preparação com o treinador Mohamed Ouali, que é um treinador fantástico. Eu conheci ele lá, mas o Mohamed é um grande amigo do meu headcoach, o Andre Benkei, e o Benkei vinha falando muito bem e eu confio demais no Andre. Como o Benkei falou que se trata de um dos melhores treinadores na parte da trocação, eu fui para a Alemanha e pude comprovar isso. O Mohamed Ouali é um técnico muito detalhista e ele me cobrava cada vez mais. Poxa, às vezes parecia que eu era um iniciante na trocação… Ele cobrava a perfeição, o detalhe do dedo, do pé, do calcanhar, coisas que outros treinadores acabam deixando passar despercebido. Ele é muito detalhista e eu gostei muito, porque acabou acrescentando demais no meu jogo. Passando essa luta, eu já estou doido para voltar para lá, fazer esse intercâmbio novamente.

– Mais intercâmbios nos próximos tempos

Com certeza (pretendo fazer mais viagens para treinamentos). Na verdade, o que eu pretendo mesmo, a partir de agora, é fazer intercâmbios em vários lugares para poder acrescentar coisas novas ao meu jogo. Eu passei um tempo nos EUA e fiquei um tempo na academia do Renzo Gracie, aprendi muita coisa lá. Depois eu fui para a Califórnia e fiquei um tempo na academia dos irmãos Mendes, então eu dei um “up” no meu Jiu-Jitsu também. Agora eu fui para Alemanha, aprender um pouco da parte em pé, depois dessa luta, estou pretendendo ir para a Tailândia focar um pouco novamente na parte em pé. A gente está com essa ideia de fazer esses intercâmbios e poder aprimorar ainda mais a parte técnica.

– Luta contra Yancy Medeiros no UFC Rio

Estou muito empolgado, muito feliz com essa luta. Eu vejo que o casamento dessa luta é bom. Eu treinei bastante, vi vários vídeos dele, então eu praticamente sei o que ele vai fazer, sei os momentos que ele troca de base, a hora que não, os golpes que ele dá, então isso torna a luta, não mais fácil, mas eu já sei mais ou menos o que ele vai fazer. A gente está com uma equipe técnica por trás de tudo, então nós vemos a quantidade de golpes que ele acerta com a mão direita, com a esquerda, e isso acaba melhorando ainda mais a nossa estratégia. Então, eu sei que em algum momento ele vai abrir uma brecha, e eu vou pegar ele nesse momento.

– Desejo por nocaute no duelo

A luta vai terminar com a minha mão levantada. A gente treinou bastante todas as áreas, tanto em pé, como no chão. Mas eu tenho certeza que essa luta vai terminar em pé e eu vou conseguir enfiar minha mão nele. Ele vai cair, com certeza.

ericksilvaxmedeiros
Erick Silva vai em busca de sua segunda vitória consecutiva pelo Ultimate (Foto Getty Images)

– Pressão da torcida desde o início de sua passagem no UFC

Em relação a isso, eu fico tranquilo. A galera criou uma expectativa que eu não pedi na época. Então, por mim, é uma relação tranquila. Eu vivo minha vida do mesmo jeito que vivia antes, porém, estou mais experiente. É lógico que tem coisas que a gente passa que acrescentamos na nossa vida, então, dessa vez, eu estou muito mais focado na minha carreira. Tem coisas que acontecem que a gente pega e não quer que aconteça mais. Em relação a altos e baixos, isso eu acho que acontece na carreira de qualquer lutador e eu acho que isso acaba servindo de lição, de experiência, e agora é a hora de mostrar isso. Não adianta nada a gente passar por altos e baixos e não aprender nada com isso, então eu tive uma mudança, de concentrar muito mais no meu treinamento, de colocar as pessoas certas comigo. Tenho certeza que agora eu consegui encontrar o caminho em busca do topo do caminho, e é isso que eu quero.

– Evolução e novo momento na carreira

No começo da minha carreira, eu peguei muitos atletas que estavam no topo da divisão, e eu realmente acho que não estava preparado naquela época. Eu acho que hoje em dia eu estou muito preparado. Naquela época, muita gente colocava muita torcida em mim, tinham muitas esperanças, mas eu estava muito novo e não estava preparado. Hoje em dia, sou um atleta muito mais maduro, estou muito mais completo, tecnicamente e fisicamente. Fisicamente, eu acho que nenhum lutador bate de frente comigo. A divisão é realmente muito difícil, então depende muito do atleta que você vai lutar.

CARD COMPLETO:

UFC 212
Sábado, 03 de junho de 2017
Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro

Card Principal

José Aldo x Max Holloway
Claudinha Gadelha x Karolina Kowalkiewicz
Vitor Belfort x Nate Marquardt
Paulo Borrachinha x Oluwale Bamgbose
Erick Silva x Yancy Medeiros

Card Preliminar

Raphael Assunção x Marlon Moraes
Antônio Cara de Sapato x Eric Spicely
Johnny Eduardo x Mathew Lopez
Iuri Marajó x Brian Kelleher
Viviane Sucuri x Jamie Moyle
Luan Chagas x Jim Wallhead
Marco Beltrán x Deiveson Alcântara

Deixe uma resposta