Coberturas Jiu-Jitsu Mundial 2017

Rodrigo Feijão detalha preparação da Nova União para o Mundial e faz projeção para os próximos anos; veja

Por Mateus Machado 

Considerada uma das maiores equipes no mundo do Jiu-Jitsu, a Nova União vem em intensa preparação para o Mundial da IBJJF, que começa nesta quinta-feira (1º) e vai até o próximo domingo (4), prometendo reunir os grandes nomes da atualidade na arte suave. Para a edição deste ano, o plantel se reuniu para um camp em Tempe, no Arizona, Estados Unidos, na academia de Gustavo Dantas. Um dos líderes da preparação é a fera Rodrigo Feijão, bicampeão mundial master e dono de outros importantes títulos na modalidade.

Em entrevista exclusiva à TATAME, o faixa-preta detalhou a expectativa da equipe, que vem passando por uma grande reformulação, para o Mundial. Além disso, Feijão citou as principais apostas e novas promessas da Nova União e fez uma projeção para os próximos anos.

Confira a entrevista completa com Rodrigo Feijão:

– Expectativa da Nova União para o Mundial

A expectativa é muito boa, porque estamos pensando em fazer mais de 60 pontos. A grande sacada do Mundial, para o cara ser campeão, creio que o cara tem que fazer mais de 100 pontos, mas para brigar pelo pódio, a gente fazendo mais de 60 pontos, estaremos brigando. Com essa reformulação (da Nova União), não adianta querer dar um passo maior que a gente possa, por isso, nosso primeiro objetivo é tentar chegar no pódio, para nos próximos anos tentar brigar pelo título. Tivemos algumas baixas por conta do visto, a gente não está tão forte, porém, só trouxemos os caras que tem grandes chances de sair com a medalha de ouro.

rodrigofeijãonovaunião
Rodrigo Feijão ao lado do faixa-preta Gustavo Dantas, do faixa-marrom Alex Sodré e do faixa-roxa Victor Nithael (Foto Reprodução)

– Principais apostas e destaques da Nova União para a competição

Creio que é até difícil falar de destaques, porém, a gente está com bons nomes… Acredito que esses 60 pontos que a gente vai fazer será com garotos que estão em um nível muito alto, porque a gente está com um time muito forte na faixa-marrom, vamos fazer grandes pontos ali. Acredito também que teremos bons resultados na faixa-roxa, aquela briga de sempre na faixa-azul, as chaves estão grandes. Mas a nossa grande expectativa é pelo nosso primeiro campeão na faixa-preta depois de anos. Acho que esse ano vai dar.

– Diferenciais da Nova União para um torneio de grande porte como o Mundial

A minha visão perante a uma equipe de grande porte como a Nova União é a boa organização que a gente vem tendo, porque estamos buscando algumas pessoas de pólos diferentes, fazendo camps em lugares diferentes, para tentar resgatar o maior número de atletas possíveis. Não só isso, como também estamos buscando uma estrutura psicológica muito boa na cabeça de nossos atletas, que não podem desanimar com uma perda, uma frustração, porque no próximo ano podemos ir em busca novamente. Nunca desanimar, porque o sol brilha para todos e o nosso dia pode estar chegando de novo.

– Trabalho que vem sendo desenvolvido para as próximas gerações

É até engraçado falar em produzir, né? Eu vejo as outras academias pegando atletas já formados, enquanto a Nova União vem sempre buscando os nossos talentos de lugares mais baixos. A nossa base é muito forte. O nosso azul juvenil sempre vem com três, quatro promessas, e graças a Deus, essas promessas vão além dos anos. Mas falando dos nossos garotos já formados, temos o Alex Sodré, faixa-marrom, o Victor Nithael, faixa-roxa, Alex Muniz, que foi campeão Pan-Americano peso e absoluto. Essas promessas aí são para os próximos dois, três anos, e se Deus quiser, serão futuros faixas-preta nossos. Não tem só esses, como também garotos do Norte, do Nordeste, com um trabalho muito bem feito. Isso já pôde ser visto no Brasileiro, onde fizemos muitos pontos em categorias que a gente não fazia. Acredito que em até três anos as nossas promessas vão circular bem no meio de outros faixas-preta.

– Projeção para os próximos campeonatos e os próximos anos

Em relação à projeção para os próximos campeonatos, a gente já tem uma grande reunião marcada para o meio do ano. A academia vai brigar pelo título do Europeu em 2018, no Pan-Americano nós vamos tentar fazer um trabalho de base melhor para faixas-branca e azul. No Mundial de 2018 vamos brigar pelo pódio mais uma vez, já que ainda não estamos com possibilidade de ganhar ainda, mas vamos brigar pelo pódio mais firmes ainda, quase garanto que vamos estar no pódio.

– Evolução de atletas da equipe na faixa-preta

Eu penso que é apenas o começo, porque temos nove ou dez categorias na faixa-preta adulto e só temos três atletas, sendo que um está firmado já (Marcio André), enquanto os outros dois estão disputando um espaço ainda, um lugar ao sol. O Luan Carvalho já foi campeão Europeu (fechando com o Marcio André) e Brasileiro, o Horlando Monteiro está chegando agora, tem apenas cinco meses na faixa-preta, é muito pouco. Então, vocês podem esperar mais. Estamos com um projeto para 2018 de cinco atletas na preta e em 2019 teremos boas surpresas aí.

um comentário

Deixe uma resposta