Márcio Pedra nocauteia Eli Braz no primeiro round e garante cinturão do Torres Fight; saiba mais

    Márcio Pedra conquistou o cinturão do médios do Torres Fight (Foto: Yago Rédua)

    Por: Yago Rédua

    No último sábado (10), foi realizado a terceira edição do Torres Fight Championship, no Esporte Clube Correas, em Petrópolis. Apesar da gelada noite na região Serrana do Rio, o evento protagonizou lutas quentes de MMA, Jiu-Jitsu e Submisson. No combate principal e mais aguardado pelos fãs, Márcio Pedra nocauteou Eli Braz ainda no primeiro round e garantiu o cinturão dos médios da organização. O co-main event terminou empatado no duelo de arte suave entre Daniel Jagunço e Matheus D’Ouro.

    Márcio Pedra nocauteia e garante cinturão

    Na luta principal, Márcio Pedra, mais experiente, começou o confronto tentando derrubar Eli Braz. Especialista no Jiu-Jitsu, o lutador de Belford Roxo procurou as quedas, mas encontrou um adversário que também tem a arte suave bem afiada. Com isso, a maneira encontrada foi resolver a luta na trocação, então, Pedra conquistou o primeiro nocaute da carreira e conversou com a TATAME após receber o cinturão.

    15
    Márcio Pedra conquistou o cinturão do médios do Torres Fight (Foto: Yago Rédua)

    “Foi duríssimo, eu devo tudo isso ao Moisés, o mestre de Muay Thai. Eu devo isso também a minha transição na TFT, eu pertenço a TFT agora. Treino só com material humano de primeira, (Alex) Cowboy, (Thiago) Marreta, (Luis Henrique) KLB, não tem como não ficar duro (risos). Quero agradecer também ao Eli, que fez uma luta dura. Eu queria derrubar para trabalhar o meu né, porque é instintivo: quando está perto da grade, eu quero derrubar. Mas, desta vez, eu estava com o punho acirrado para quando encurralasse, eu entrasse de encontro como aconteceu. Para mim, foi um bônus (conquistar o cinturão do Torres Fight)”, comentou emocionado o lutador.

    Duelo de Jiu-Jitsu termina com provocações 

    No confronto de Jiu-Jitsu mais esperado, os experientes Daniel Jagunço, do QG Centro de Lutas, e Matheus D’Ouro, da GFTeam, se enfrentaram em uma batalha acirrada. Os dois lutadores acabaram não se expondo muito e fizeram um embate cauteloso. O resultado final de empate acabou gerando mais provocações entre os dois.

    16
    Empate entre Matheus D’Ouro e Daniel Jagunço no co-main event (Foto: Yago Rédua)

    “Com todo respeito ao meu adversário, mas ele veio aqui para amarrar a luta. Ele saiu vitorioso, porque conseguiu empatar comigo. Eu já bati nele duas vezes, uma arranquei o joelho e outra ganhei um cinturão em 2011. Hoje, eu dei a oportunidade dele tentar me ganhar. Vim de Campo Grande, é meu amigo, gosto muito dele, mas amarrou a luta”, disparou D’Ouro, que foi respondido por Jagunço.

    “Ele fala que não teve luta, porque eu marrei. Mas, quem puxa para guarda tem a obrigação de abrir a guarda e raspar. Se ele não tentou raspar e abriu aguarda, não tinha que ter luta. Quando eu tentava derrubar, ele se protegia e não deixava. Na verdade, ele não quis lutar. Se quisesse, teria luta. Se abrir a guarda, eu passo quantas vez for”, apontou Jagunço.

    Outros destaques do Torres Fight 

    O evento contou ainda com 17 lutas animadas. Dos 11 embates de MMA, apenas um foi para a decisão dos árbitros e outro por desistência no último round. Foram oito duelos que terminaram em nocautes no primeiro round, destaque para Paulo Neném que precisou de apenas 15 segundos para derrotar Leo Fernandes. A única finalização ficou por conta de Abias Silva sobre Renan Luiz, com uma chave de braço.

    Já nas três lutas de Jiu-Jitsu, o destaque ficou por conta Mauro Ferreira, lutador de Petrópolis, que derrotou William Dias por 8 a 0 nos pontos. Já no Submisson, que teve o mesmo número de duelos, Moisés Monstro comandou a modalidade ao finalizar Vitor Spartano, com uma chave de braço.

    CONFIRA OS RESULTADOS

    Torres Fight Championship
    Correas, Petrópolis, Rio de Janeiro
    Sábado, 10 de junho, de 2017

    MMA
    Márcio Pedra derrotou Eli Braz por nocaute técnico no 1R
    Douglas García derrotou Sal por nocaute técnico no 1R
    Paulo Nenem derrotou Leo Fernandes por nocaute no 1R
    Abias Silva finalizou Renan Luiz com uma chave de braço no 1R
    Jonhy Samurai derrotou Luiz Ogro por nocaute técnico no 1R
    Jayan finalizou Artur Monstrinho com mata-leão no 1R
    David Richards derrotou Jackson Silva por WO
    Cristiano Nogueira derrotou José Balbino por nocaute técnico no 1R
    Athos Alexandre derrotou Bim Andrade por nocaute técnico no 1R
    Ricardo Amâncio derrotou Jaílson Gonçalves por desistência no 3R
    Neuaque derrotou Domingos Quintanilha por nocaute técnico no 2R
    Wagner Deodoro derrotou Jonathan Silva por decisão dos jurados

    Jiu-Jitsu
    Daniel Jagunço e Matheus D’ouro empataram em 2 a 2 nos pontos
    Ruan Quintanilha empataram Flávio
    Robson Gabriel derrotou Jonathan Tavarez por 4 a 0 nos pontos
    Mauro Ferreira derrotou William Dias por 8 a 0 nos pontos

    Submission
    Moisés Monstro finalizou Vitor Spartano com uma chave de braço
    Arthur de Souza derrotou Arlison por 2 a 0 nos pontos
    Douglas Oliveira derrotou Guilherme Baliza por 4 a 1 nos pontos

    3 COMENTÁRIOS

    1. Um dos melhores lutadores que temos em atividade no Brasil atualmente, não entendo ainda por que o UFC ainda não enxergou isso.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome