Campeã no Mundial, Nathiely exalta nova geração do Jiu-Jitsu feminino: ‘Chegando com tudo’

    Nathiely Jesus levou o título nos meio-pesados ao vencer Andresa Correa na final (Foto Lisa Pics)
    Nathiely Jesus levou o título nos meio-pesados ao vencer Andresa Correa na final (Foto Lisa Pics)

    Por Mateus Machado 

    Após encerrar a temporada da UAEJJF em alta, com o título de diversos Grand Slams e o ouro conquistado no Abu Dhabi World Pro, além da liderança do ranking feminino da Federação, Nathiely Jesus também se destacou no Mundial da IBJJF, que foi realizado até o último dia 4 de junho, em Long Beach, nos Estados Unidos. No torneio em questão, considerado o mais importante da arte suave, a jovem atleta foi campeã em sua divisão de peso, derrotando a experiente Andresa Correa na final, e faturou o vice no absoluto, sendo derrotada por Tayane Porfírio na grande decisão.

    Os grandes feitos representam a ótima fase vivida pela pupila de Cícero Costha. Mesmo com apenas 21 anos, Nathiely, graduada à faixa-preta no ano passado, conquistou vitórias diante de atletas consagradas no Jiu-Jitsu e faturou títulos importantes para o seu currículo. No entanto, a disputa do primeiro Mundial como faixa-preta fica marcado para qualquer lutador, e para a paulista não foi diferente. Em entrevista exclusiva à TATAME, a campeã dos meio-pesados falou sobre a sensação de disputar uma competição de alto nível na preta e sobre a mistura de sentimentos durante o torneio.

    Nathiely Jesus levou o título nos meio-pesados ao vencer Andresa Correa na final (Foto Lisa Pics)
    Nathiely Jesus levou o título nos meio-pesados ao vencer Andresa Correa na final (Foto Lisa Pics)

    “Lutar o Mundial na faixa-preta foi uma sensação única, até por ser o primeiro. Eu estava nervosa, ansiosa para lutar, mas ao mesmo tempo eu estava bem tranquila também. Então, quando chegou o primeiro dia de competição, todo aquele nervosismo e ansiedade se transformou em nada para mim, sabe? (risos). Eu não sei, parecia que eu era muito experiente já, que eu já havia lutado vários outros Mundiais na faixa-preta. Eu não sei, eu me transformei, fiquei muito calma, muito concentrada, muito focada no que eu queria, que era o título de campeã. Então, para mim, foi tudo muito tranquilo no final das contas”, disse a faixa-preta.

    Confira a entrevista completa com Nathiely Jesus:

    – Análise da campanha na categoria e título

    Na minha categoria, eu fiz a semifinal com a Jéssica e a gente já havia lutado outras vezes, na faixa-roxa, na marrom, e é sempre uma luta muito dura, ela é uma oponente muito forte. Eu tentei impor o meu jogo primeiro, porque eu já sabia que seria uma luta muito difícil, tanto que ganhei por pontos. Na final, eu lutei com a Andresa e eu estava muito nervosa, por ser a final (risos). Eu já tinha lutado com ela antes, mas tinha sido No-Gi, nunca tinha lutado com ela de quimono. Eu tentei impor meu jogo primeiro, como em todas as lutas, e eu pude sair com a vitória e o título.

    – Possível aposentadoria de Andresa Correa

    Eu acho que a Andresa vai fazer muita falta nos tatames. Eu acho que ela fez muito pelo esporte, contribuiu muito para o Jiu-Jitsu feminino. Ela é uma atleta que eu admiro bastante, então, ter feito essa final com ela e a Andresa ter anunciado uma possível aposentadoria em uma final contra mim foi uma sensação importante e, ao mesmo tempo, muito triste, por esse fato dela estar se aposentando. Eu acho que essas atletas que estão surgindo agora, da nova geração, estão vindo com tudo e cada vez vai ficar mais difícil. Vão subir novas atletas, inclusive já subiram algumas da faixa-marrom, e eu acho que, daqui em diante, o Jiu-Jitsu feminino só tende a crescer.

    – Campanha no absoluto e final com Tayane Porfírio

    O absoluto, realmente, eu estava muito em dúvida se eu iria lutar. Mas eu gosto muito de lutar e acabei me inscrevendo e lutando. Fiz três lutas até chegar a final com a Tayane. Eu já havia lutado com algumas das meninas antes, mas a maioria das meninas eram novas, então, todas as lutas foram muito difíceis para mim. Lutei com a Jessica novamente na semifinal, lutei com a Monique Elias nas quartas, que é uma atleta duríssima, eu acho que foi a luta mais difícil antes de lutar com a Tayane. Eu sabia como era o jogo dela (Monique), tracei bem a estratégia e saí com a vitória. O duelo com a Tayane foi uma guerra, né? (risos). É sempre muito difícil lutar contra ela, é uma atleta muito dura, muito técnica. O resultado não foi o esperado, mas fiquei muito feliz de ter chegado na final.

    Nathiely Jesus ainda ficou com o vice no absoluto, sendo derrotada por Tayane na final (Foto Reprodução)
    Nathiely ainda ficou com o vice no absoluto, sendo derrotada por Tayane na final (Foto Reprodução)

    – Título de meninas da nova geração sobre atletas mais experientes

    Eu já esperava que algumas meninas da nova geração fossem campeãs, porque são atletas de altíssimo nível, que estão chegando com tudo, então eu sabia que pelo menos nas finais elas estariam. Não foi muita surpresa para mim, não, porque já era esperado que algumas delas já saíssem com o título nesse Mundial.

    – Planos para o restante do ano

    Agora, depois do Mundial, eu ainda não tenho nada planejado. Eu quero lutar os campeonatos que aparecerem. Primeiramente, estou organizando minha agenda, porque vou ficar um tempo aqui nos Estados Unidos, então eu ainda não sei quais serão os próximos campeonatos que eu vou disputar. Mas seja lá qual for, eu estou muito ansiosa para competir novamente.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome