Coberturas Jiu-Jitsu Mundial 2017

Após derrotar Lo na decisão do Mundial, Meregali diz: ‘Sempre acreditei em mim e no título’

Por: Yago Rédua

Uma das gratas surpresas do Mundial da IBJJF, realizado no começo deste mês de junho, na Califórnia (EUA), atende pelo nome de Nicholas Meregali. O pupilo do casca-grossa Mario Reis é um dos protagonistas da nova safra de faixas-preta do Jiu-Jitsu e confirmou isso ao derrotar, na decisão dos pesados, a fera Leandro Lo. Em conversa com a TATAME, o campeão mundial contou sobre a motivação para final e todo o processo para chegar ao topo da arte suave em sua categoria.

“Lidar com isso foi vibrante, intenso, com demasia de energia e muito coração envolvido. Sempre acreditei em mim e no título, embora muitos achassem impossível. Eu realmente trabalhei e fiz por merecer essa bênção, abdiquei de muita coisa e sofri demais por anos, para ter esse primeiro momento diante do mundo. Me motivei ao extremo durante o dia, exalei meu amor e minha superação total. Lidar com o fato de ser campeão mundial está sendo tranquilo, pois fui preparado para isto e sei que meu propósito é muito mais grandioso que um título e uma medalha”, contou Nicholas.

O lutador se tornou faixa-preta em dezembro de 2016, mas dentro dos tatames, mostra uma categoria e consciência de um veterano. Meregali contou ainda sobre o sucesso de sua vitória sobre Lo nas redes sociais, o momento em que extravasou toda a alegria na comemoração e o desempenho no absoluto, que, segundo o próprio atleta, faltou “coração”.

14
Nicholas Meregali derrotou Leandro Lo na final dos pesados (Foto: FloGrappiling)

Confira abaixo a entrevista na íntegra com Nicholas Meregali:
– Início triunfante na faixa-preta e escolha pela divisão dos pesados
Eu acredito muito em destino e há anos nós estamos esperando esse momento. Tenho o título como uma bênção, por tudo que já passei e passo e pelo preço que pago para merecer tal acontecimento. Eu lutaria facilmente de 88kg, mas o Mario e eu encaramos a categoria de 94kg (pesado) como a mais desafiante, e é de grandes desafios que nos movimentam, por isso lutei nela.

– Sucesso nas redes sociais após a vitória sobre Leandro Lo
Eu sempre trabalhei sem fazer alardes. Fiz muita coisa nas faixas-roxa e marrom, coisas que quase ninguém sabe. Sobre o pessoal me conhecer, acho que agora chegou o momento, me preparei e fui lapidado para saber lidar com essa situação. Realmente repercutiu demais, perdi duas vezes para meu adversário em menos de três meses, entrei em uma luta que era considerada, por muitos, perdida, foi meu primeiro Mundial de faixa-preta, lutei contra o atleta que, na visão de muitos, é o maior da atualidade e muitos falaram que foi a luta que mais levantou o ginásio no domingo de decisões. Acho que por esses motivos repercutiu. E sobre estudar meu jogo, estamos apenas no início do processo, vamos estudar e ser estudados, o que é normal.

– Momento de extravasar após garantir a medalha de ouro
Me preparei demais para aquele momento, me motivei demais naquele dia. Pensava o mais positivo possível, pois sabia que estar na final seria um momento de extrema adrenalina. Foquei em ter claro na minha cabeça o quão competente eu sou e quão preparado eu estava. A maneira que extravasei acho que foi do tamanho do sofrimento que tive para chegar até ali, conter aquilo seria como boicotar todo meu processo de anos.

– Campanha ‘discreta’ no absoluto e falta de “coração”
Faltou ser Nicholas Meregali. Não consegui libertar o ponto forte da minha personalidade, o coração. Me movimentei muito, mas sem coragem, acredito que isso barrou meu caminho no absoluto e somou para minha categoria.

– Legado de Buchecha e receita para seguir brilhando no Jiu-Jitsu
Não sigo nenhum legado. Estou criando minha filosofia de vida através das pessoas que estão comigo dia a dia, dos exemplos que tenho por perto: de pureza, gratidão, bons gestos, amor, humildade, conexão com a natureza. Sem álcool, drogas, anabolizantes ou coisas fúteis que alimentam o espírito de forma passageira. Este é o meu legado e das pessoas que me rodeiam e é esse que vou seguir e vou mostrar para o mundo.

– Nova safra do Jiu-Jitsu que realizou feitos no Mundial
É impossível dizer que é um momento de transição. Acredito que tenha muitos atletas querendo chegar, realizar seus sonhos e muitos atletas já satisfeitos com o que fizeram. Em cada categoria tem um nome de reinado e sempre terão atletas querendo destroná-los.

Deixe uma resposta