Coluna Treinamento Desportivo: a mobilidade de ombro para o Levantamento de Peso Olímpico

    O levantamento de peso olímpico consiste em diversos movimentos que vão além dos dois movimentos clássicos (Clean/Jerk e Snatch). Normalmente, durante o processo de treinamento de atletas de combate (ou de diversas outras modalidades), vem sendo utilizadas variações desses movimentos, com o intuito de desenvolver potência muscular, velocidade, força e etc. Porém, para fazer um levantamento com sucesso, é necessário um grande nível de habilidade, equilíbrio e mobilidade articular. A mobilidade articular pode ser definida como a amplitude ótima de movimento de uma articulação e é uma combinação da estrutura articular e da flexibilidade.

    Constantemente, durante o processo de ensino dos movimentos de levantamento de peso olímpico, nos deparamos com atletas que tem dificuldade em atingir um posicionamento articular ideal. Por isso, nesse artigo, convidamos o atleta de MMA e lutador do Shooto, Michael William, para mostrar um exercício de alongamento e mobilidade articular de ombro, bastante utilizado para melhorar a posição de front hack no Clean, ou seja, quando a barra está apoiada em cima dos ombros.

    Posição ideal do Clean (Foto Raphael Giacomelli)
    Posição ideal do Clean – FIGURA 1  (Foto Raphael Giacomelli)
    Posicionamento errado para a ação (Foto Raphael Giacomelli)
    Posicionamento errado para a ação – FIGURA 2 (Foto Raphael Giacomelli)

    Na Figura 1, podemos observar o posicionamento ideal para a posição de hack do Clean, onde os ombros se encontram para cima e a barra está totalmente apoiada nos ombros e os dedos da mão apenas dando o suporte. Já na Figura 2, observamos o posicionamento errôneo, com os cotovelos apontados para baixo, transferindo a carga da barra toda para os punhos dos atletas, o que a longo prazo, poderá acarretar em lesão. Normalmente, esse posicionamento errado é devido à falta de mobilidade em rotação externa do ombro e, para isso, utilizamos o exercício de rotação externa forçada com bastão, mostrado nas Figuras 3 e 4.

    Posicionamento inicial do bastão - FIGURA 3 (Foto Raphael Giacomelli)
    Posicionamento inicial do bastão – FIGURA 3 (Foto Raphael Giacomelli)

     

    Posicionamento final do bastão - FIGURA 4 (Foto Raphael Giacomelli)
    Posicionamento final do bastão – FIGURA 4 (Foto Raphael Giacomelli)

    Posicionamento do bastão: com o ombro que será alongado em flexão, o bastão é segurado com a mão do mesmo lado por cima e a mão oposta por baixo. Para começar o alongamento, a mão oposta puxará o bastão no sentido oposto, forçando a rotação externa do ombro contralateral.

    Há três possibilidades de utilizar essa mobilidade: a primeira é somente o alongamento estático na posição final; alongamento dinâmico movimentando o ombro sem segurar em uma posição específica ou a combinação das duas. Recomendamos começar com o alongamento estático por 30-60 segundos e, logo após, a realização de mais 2-3 séries de 30 segundos, movimentando controladamente.

    Para mais informações: 

    Stéfane Dias: Doutor em Treinamento Desportivo – Rússia – e-mail: mestraoatt@hotmail.com

     

     

    Fabio Vieira: Doutor em Treinamento Desportivo fabio.vieira@hotmail.com – Instagram: https://www.instagram.com/fabiosfvieira/

     

     

    Diego Lacerda: Mestre em Treinamento Desportivo – Rússia – e-mail: diegocslacerda@gmail.com – Instagram: https://www.instagram.com/diegolacerdatkd/

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome