MMA UFC

Hendricks revela que febre dificultou corte de peso para o UFC Oklahoma e diz: ‘É uma droga’

Reincidente no processo de não bater o peso, Johny Hendricks falhou mais uma vez no último fim de semana, para atingir o limite da categoria dos médios no UFC Oklahoma. O ex-campeão dos meio-médio vinha enfrentando problema com a balança e resolveu subir de categoria, no entanto, o lutador explicou que uma febre o atrapalhou e, por isso, acabou ficando 900g acima do estabelecido.

Johny Hendricks (Foto: Getty Images)
Johny Hendricks não bateu o peso da categoria dos médios para o UFC Oklahoma (Foto Getty Images)

“Comecei a ter febre na quarta-feira, por algum motivo. A febre se manteve durante a quinta e a sexta-feira, e comecei a pensar: ‘Meu Deus…’. Se qualquer pessoa se sente mal, o que essa pessoa faz? Fica em casa, na cama. Toda a minha família enfrentou problemas de saúde nos três meses anteriores à luta, e até ri por não pegar nada. Estava muito animado. Ótimo, nada aconteceu. Até começar a cortar peso. Apareci com uns seis quilos acima, acho, e bebi 4,5 litros de líquidos. Nesse caso, você não está somente lutando contra o peso, mas também com o seu corpo. Então, a temperatura disparou no sábado, bem tarde, por volta de 1h ou 2h da manhã. Quando ficou muito alta, tentamos acabar com a febre, mas naquele ponto meu corpo estava dizendo: ‘Ei, nesse momento só vamos tentar sobreviver’. É uma droga, porque chegar a 84kg não é tão complicado assim, mas quando você está doente, acaba sendo”, revelou Hendricks ao programa “Submission Radio”.

Já na hora da luta contra Tim Boetsch, para quem Hendricks perdeu uma porcentagem da bolsa, o ex-campeão disse que tinha total consciência do que estava acontecendo. Contudo, afirmou que o corpo não conseguiu responder aos comandos da mente e acabou sendo nocauteado.

“Quando eu estava lá, as coisas não estavam funcionando do jeito que deveriam. Vi várias brechas, senti o timing dele. A única coisa que ele realmente me acertou com aquele pontapé, até que ele acabou comigo com aquele chute… O tempo inteiro que fiquei lá, achei que estava me movendo, e meu treinador disse: ‘Não, você literalmente não se mexeu’. Realmente não sei o que estava pensando. Tudo que ele fez, eu sabia. Vi tudo. Não tinha nada que ele pudesse fazer, e então ele deu aquele chute e me nocauteou, então tenho que dar meu reconhecimento e meu respeito a ele”, encerrou.

um comentário

Deixe uma resposta