Jiu-Jitsu

Brasileiro da CBJJD tem emoção na faixa-preta e vitória do Rio de Janeiro nos desafios entre estados

Por: Yago Rédua

No último sábado (1), o Clube Municipal, na Zona Norte do Rio, foi palco do Campeonato Brasileiro, da CBJJD. O evento esteve lotado durante todo o dia e o público assistiu grandes combates em todas as faixas. Na parte da manhã, como é tradicional, o Festival Kids animou as crianças e todos os pais presentes. Já na abertura oficial, as superlutas, entre estados, atraíram a atenção do ginásio com embates eletrizantes.

99
Leo Macaco Branco venceu a superluta (Foto: Click Art’suave)

Na primeira superluta, representando o Rio de Janeiro, André Gustavo, da Infight, superou o brasiliense Francisco Carlos, da Strong Fifghter. Em entrevista à TATAME, o faixa-preta contou sobre a importância de uma ação como essa da CBJJD.

“O Campeonato Brasileiro está bem disputado, está vindo uma galera de fora, de Brasília, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais, e quando não conhecemos o adversário, temos que buscar fazer o melhor na luta. Até porque, o objetivo dele também é esse. Hoje em dia, a CBJJD está muito boa e temos uma longa caminhada lutando aqui e o público sabe reconhecer”, comentou André, que foi seguido por Leo Macaco Branco, da Game Fight, em sua declaração.

“Essa superluta é algo que dá muita visibilidade, então, ser chamado para uma luta dessa é muito importante para um atleta. Poder lutar com um atleta tão forte quanto eu lutei hoje, é muito gratificante. Eu consegui colocar algumas coisas em jogo e fiquei feliz com o resultado. A divulgação está muito boa, está excelente, a TATAME colocando o nosso nome. É importante para os atletas e patrocinadores. A CBJJD cada vez melhor. Só tenho elogios”, apontou Leo, que venceu Wilson Carlos, da Colisão Jiu-Jitsu, representante de São Paulo.

Das três superlutas, apenas um lutador de fora do estado do Rio conseguiu sair vitorioso. Matheus Godoy, da Alliance e Seleção FJJD-MS, não deu brechas para o casca-grossa Marcus Morcego e garantiu o triunfo. Em entrevista, logo após o feito, o faixa-preta classificou a oportunidade como um “sonho”.

“É uma competição muito importante, está muito bem organizada. Me convidaram para fazer essa luta, contra o atleta da casa e graças a Deus eu sai com a vitória. Espero ter correspondido a expectativa. Isso é um sonho de todo atleta de ter o trabalho reconhecido, para mim é um honra lutar no celeiro do Jiu-Jitsu”, comentou Matheus Godoy, que representou o Mato Grosso do Sul.

Deixe uma resposta