Café celebra participação no desafio de ‘Legends’ no Grand Slam de Tóquio: ‘É algo histórico’

    Alexandre Café (Foto: Reprodução)

    Por: Yago Rédua

    12
    Alexandre Café vai entrar em ação na disputa do Legends no Abu Dhabi Grand Slam, da UAEJJF (Foto: Reprodução)

    A UAEJJF inseriu no seu principal evento, o World Pro, o desafio de “Legends”, com memoráveis nomes que ajudaram e ainda participam da construção da arte suave. Com o sucesso, a Federação resolveu implementar os combates também nas cinco etapas do Grand Slam. O primeiro desafio será neste sábado (15), em Tóquio, no Japão. Casca-grossa, o experiente Alexandre Café foi convidado para participar e elogiou a iniciativa.

    “A UAEJJF está de parabéns. Ela conseguiu resgatar o valor do quimono. Isso é muito importante para a geração nova conhecer as grandes lendas, os guerreiros do Jiu-Jitsu, que às vezes ficam desconhecidos. Só novidades que acabam indo para a mídia e aqueles que fizeram história pelo esporte não são lembrados. A UAEJJF está resgatando isso e é algo histórico, para ser lembrado para sempre”, comentou o faixa-preta.

    Além disso, em entrevista exclusiva à TATAME, Café comentou sobre o seu oponente, o também experiente Ricco Rodriguez. O lutador fez uma análise do seu adversário, revelando até uma amizade entre os dois. Sobre a oportunidade de lutar no Grand Slam, Alexandre agradeceu a indicação de Amaury Bitetti, que participou do desafio de “Legends” no World Pro, e ainda contou a respeito dos planos para o restante da temporada.

    Confira a entrevista na íntegra com Alexandre Café:

    – Convite para o Grand Slam da UAEJJF
    Eu recebi o convite pelo Amaury Bitetti, que lutou o último evento (Desafio de Legends no World Pro, em abril) para lutar com o Ricco Rodriguez.

    – Importância em participar do desafio de Legends
    Para mim, ser considerado como uma lenda do Jiu-Jitsu e estar no mesmo patamar de caras que são meus incentivadores e meus ídolos, como Amaury Bitetti e Hélio Soneca, é de suma importância.

    – Análise do adversário e amizade com Ricco
    Eu conheço o Ricco Rodriguez desde 1998, quando ele veio treinar para o Mundial de Jiu-Jitsu. Ele foi lá em casa, almoçou comigo e fizemos uma boa amizade. Ele tem uma enorme bagagem em lutas de quimonos, sem quimono e MMA. É um adversário que eu não posso subestimar e preciso estar sempre atento às suas quedas no Wrestling, pernas, etc. Preciso ficar bem atento. Tenho grandes chances de ser campeão, mas não posso subestimá-lo.

    – Importância do desafio “Legends” para o Jiu-Jitsu
    Essa questão de passar para o Grand Slam, esse confronto de Lendas, eu vejo como natural. Os fãs ficaram animados com a oportunidade de ver grandes lutadores, que não vinham aparecendo há algum tempo. Então, a oportunidade de assistí-los em um grande palco, não tem como não valorar. É muito importante.

    – Planos para o segundo semestre de 2017
    Eu pretendo continuar com os meus seminários mundo à fora. Pretendo também passar uma temporada grande lá na Flórida, junto ao meu amigo Ricardo Pires, na Gracie Barra, e pretendo lutar o que aparecer, seja de Jiu-Jitsu, MMA ou Submission. Esses eventos de Challanger são os mais interessantes.

    Já conhece o App da TATAME para celular e o nosso shopping virtual? Clique e saiba mais!

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome