Jiu-Jitsu Kickboxing MMA

Organizador do DC Pro exalta estrutura e destaca: ‘Objetivo é descobrir novos talentos’

Por: Yago Rédua

12
DC Pro (Foto: Divulgação)

No próximo mês de agosto, no dia 26, o centro de treinamentos da DC Fighters, na Taquara, Zona Oeste do Rio, vai realizar o Circuito Profissionalizante DC Pro. O evento contará com lutas de Muay Thai, Jiu-Jitsu, Submission e MMA em cards profissionais e amadores, buscando sempre a valorização dos lutadores e, também, a descoberta de novos talentos. Em entrevista à TATAME, Daniel Cabral, líder da equipe e responsável pela idealização do evento, contou como surgiu a vontade de criar o torneio.

“O Circuito Profissionalizante surgiu da ideia de oferecer oportunidade de novos talentos aparecerem na arte marcial, principalmente, no cenário do MMA, além de difundir e divulgar as outras artes marciais, como Muay Thai, Jiu-Jitsu e Submission. Esse é o foco do evento, realmente descobrir novos talentos e peneirar esse galera que vem se destacando. Meu centro de treinamento tem todas essas modalidades que estão incluídas no DC Pro e a valorização disso, não só do atleta, mas também do profissional que trabalha dando aula. Tem também uma certa carência de eventos em nossa região (Taquara, na Zona Oeste do Rio), então, eu fiz questão de incluir essas modalidades para abrir espaço. Como o evento terá cobertura legal da mídia, será transmitido ao vivo e quero deixar uma porta aberta para essas modalidades”, comentou Daniel.

Como o evento será em sua própria academia, Daniel Cabral contou que dará todo conforto possível aos lutadores e ao público, como climatização, por exemplo. Além disso, a transmissão ao vivo pela TATAME TV, através do Facebook, será um dos grandes pontos, segundo mestre da arte suave.

“Eu vou destacar a própria realização do evento. O DC Pro, por ser dentro da minha academia, eu vou usar toda a estrutura para dar o melhor conforto para os atletas e também para quem assistir o evento. Por se tratar de um evento dentro da academia, será com um público reduzido, mais seleto. Eu já realizei um evento-teste aqui na minha academia, que foi um torneio de Muay Thai, e foi muito bacana. Um público para até 120 pessoas, mais os competidores. O principal objetivo deste evento, que será a grande sacada, é a transmissão ao vivo. O pessoal que não tiver como vir, poderá assistir ao vivo e imagino que terá muito acesso”, apontou o líder da DC Fighters, que revelou uma importante regra para os confrontos no Jiu-Jitsu, que prometem tornar a disputa ainda mais animada.

“Outro destaque é a inclusão do Jiu-Jitsu com um esquema totalmente diferente de regras. Essa regra foi criada aqui por mim, na verdade, eu não sei nem se existe esse tipo de regra em outro lugar. Os atletas de Jiu-Jitsu vão lutar dentro do octógono, só vale a finalização e não vai ter vantagem, tanto é que especificamos isso. O diferencial é que vão ser três rounds de três minutos, no adulto. O professor, treinador, poderá orientar o seu lutador durante a luta para dizer o que ele está fazendo ou não de errado. A pontuação será marcada normalmente, como nas competições de Jiu-Jitsu. Ela será acumulativa e só serve para critérios de desempate, caso não tenha uma finalização até o terceiro round. Essa regra vai abrilhantar o evento e a galera aqui está bem empolgada para estrear esse novo tipo de regra. Eu tenho na minha cabeça que no Jiu-Jitsu, o objetivo maior é sempre a finalização. A pontuação tem que ser sempre segundo plano, quero incentivar mais as finalizações. E valorizar também os professores que ficam na arquibancada de longe. Vai dar muito certo”, encerrou.

Deixe uma resposta