Jiu-Jitsu MMA UFC

Tanquinho cita lições e ‘passo atrás’ após último revés, mas destaca: ‘Eu enfrento qualquer um’

Por Diogo Santarém

Sem lutar pelo Ultimate desde abril deste ano, quando foi derrotado por Aljamain Sterling por decisão unânime no UFC on FOX 24, Augusto Tanquinho, enquanto não tem um novo duelo marcada pelo organização, vem mantendo sua forma com treinamentos e também disputando alguns campeonatos de Jiu-Jitsu. No último final de semana, em Moscou, na Rússia, o brasileiro foi eliminado na semifinal do ACB Jiu-Jitsu 6, sendo derrotado por Paulo Miyao no GP até 65kg.

Em entrevista à TATAME, o faixa-preta da arte suave comentou sobre a importância de competir no Jiu-Jitsu no intervalo entre uma luta e outra no UFC e destacou a sua paixão pela modalidade.

“O Jiu-Jitsu sempre fez parte do meu dia a dia, nunca deixei de treinar Jiu-Jitsu e comando a minha academia aqui no Arizona (Estados Unidos), então o Jiu-Jitsu é um estilo de vida que sigo e passo para os meus alunos. É muito mais do que lutar competições, eu luto porque gosto de me testar, mas de verdade, o estilo de vida do Jiu-Jitsu que me ajuda no meu dia a dia, e não as competições”, disse.

Augusto Tanquinho vem de derrota para Sterling em sua última luta (Foto: Getty Images)
Augusto Tanquinho vem de derrota para Aljamain Sterling em sua última luta (Foto Getty Images)

Confira abaixo o restante da entrevista com Augusto Tanquinho:

– Lições da última derrota, para Aljamain Sterling

Foi uma luta apertada, acredito que faltou um pouco de experiência da minha parte para conduzir o combate. Ganhei o primeiro round e acredito que estava ganhando o segundo até 30 segundos do fim, quando ele me derrubou e roubou o round para ele, então faltou um pouco dessa experiência para cadenciar no segundo round e respirar na hora certa para manter tudo sob controle.

– Planos dentro do UFC até o fim de 2017

Eu não estou em uma posição de escolher adversário, enfrento qualquer um que eles colocarem para mim, mas acredito que depois dessa derrota, eu tenha que dar um passo para trás e enfrentar alguém fora do ranking, e a ideia é lutar novamente no fim de 2017. Esse é o plano.

– Planejamento para a disputa do ADCC, em setembro

Ainda não comecei a minha preparação para o ADCC, estive focado no GP do ACB Jiu-Jitsu primeiro e na expectativa de confirmar a data para alguma luta de MMA para outubro ou novembro. Em breve eu começo a planejar meu camp para o ADCC, estou bem ansioso e motivado para o evento.

– Qualidades e vulnerabilidades do campeão Garbrandt

Tenho que ser realista e sei que um possível encontro contra o Cody Garbrandt está distante, então é difícil pensar nele agora e no que eu faria (em uma possível revanche)… Tenho, sim, algumas mudanças, mas prefiro fazer o meu caminho até ele e, se um dia eu chegar lá, penso em colocar em prática esses pontos a serem trabalhados para escrever uma história diferente.

– Possível duelo contra compatriotas dentro do UFC

Apesar de não estar no ranking, eu me vejo no meio de todos esses nomes. Todos são ótimos atletas e tem suas qualidades, mas acredito que, com um camp certo, posso fazer frente e vencer qualquer um deles, mas como falei antes, tenho que dar um passo para trás e lutar contra alguém fora do ranking primeiro e depois voltar a pensar em alguém no ranking. Prefiro enfrentar gringos do que brasileiros, mas isso fica a critério do UFC. Quem eles colocarem para mim, eu irei enfrentar.

Deixe uma resposta