MMA UFC

Jones pede ‘paz’ com Daniel Cormier, cita união entre negros e revela: ‘Foi difícil vê-lo chorar’

Jon Jones e Daniel Cormier travaram uma das maiores rivalidades já vistas nos últimos anos no MMA. O capítulo mais recente da mesma foi protagonizado no último dia 29 de julho, pelo UFC 214, quando “Bones” nocauteou “DC” de forma avassaladora no terceiro round e reconquistou o cinturão meio-pesado do Ultimate. No entanto, ao que parece, Jones quer aproveitar o fim do confronto e está disposto a colocar um ponto final na rixa com seu compatriota.

Em entrevista ao programa Sway In The Morning Show, o novamente campeão meio-pesado do UFC citou a necessidade de uma união entre negros ao falar sobre sua mudança na postura com Cormier.

Jon Jones pediu 'paz' na intensa rivalidade criada com Daniel Cormier (Foto: Getty Images)
Jon Jones pediu ‘paz’ na intensa rivalidade criada com Daniel Cormier (Foto: Getty Images)

“Gostaria de ser legal com ele. Especialmente por eu ser um jovem negro. Não existem muitos negros no esporte, então é triste quando estamos na garganta um do outro. Qualquer coisa, devemos torcer um pelo outro, apoiar um ao outro e motivar um ao outro”, disse Jon Jones, que ainda citou a trégua feita entre Mike Tyson e Evander Holyfield no Boxe após grande rivalidade.

“Então, eu gostaria, eventualmente, de estar em um lugar onde possamos apoiar um ao outro, fazer eventos de caridade juntos, conceder uma entrevista juntos e falar da nossa cor. Do mesmo jeito que Mike Tyson e Evander Holyfield se juntaram anos depois e falaram sobre as suas lutas, e eu gostaria de fazer o mesmo com Daniel Cormier. Acho que as pessoas gostariam de nos ver aparando as arestas”, afirmou “Bones”, que ainda revelou que foi difícil ver seu rival chorar ao final da luta.

“Foi difícil vê-lo chorar, porque ele é um bom embaixador do nosso esporte e eu sinto que esses esportes individuais, como o MMA, o Boxe, são esportes onde você vê homens crescidos chorarem, porque seu sucesso está todo em seus ombros, enquanto que, em uma equipe de basquete ou futebol, você pode culpar os outros caras. Você pode dizer ‘eu dei tudo, mas meu time estava fora do eixo nesse dia’. Mas no MMA, é tudo o que você está lá e é uma coisa muito pessoal quando você é derrotado. O legado e todas as outras coisas… Eles não estão falando sobre sua equipe, eles estão falando sobre você para sempre. Então, a maneira como os homens se apegam a esse esporte, é uma coisa bonita e isso mostra o quanto isso significa para ele”, encerrou Jones sobre Cormier.

um comentário

  1. O JJones está certíssimo. O MMA é um esporte, violento, mas ainda é um esporte. Perder ou ganhar, faz parte. Por essa declaração do JJones, acho que ele não tem ódio do Cormier, ele ficou com ódio antes da luta, por causa das provocações e porque o markiting não vai colocar dois caras se abraçando antes de lutarem. É claro que quem ganha uma luta sempre vai se postar de bonzinho depois da luta, e quem perdeu vai ficar com a derrota na memória. O que o Cormier deve fazer agora, na minha opinião, é migrar para os pesados, bater geral e se credenciar para o cinturão dos pesados. Se ele for campeão dos pesados, aí marcar uma terceira luta com o JJones, e aí “vingar” a derrota.

Deixe uma resposta