Presidente da Ass.DJJ (SC) exalta parceria com FBJJ: ‘Caminho natural para profissionalização’

    Por Yago Rédua

    No último mês de julho, Florianópolis recebeu uma etapa do International Pro da FBJJ/UAEJJF. Um dos responsáveis pela presença do evento na capital de Santa Catarina, Cláudio Arrais, presidente da Associação para o Desenvolvimento do Jiu-Jitsu no estado, conversou com à TATAME sobre a oportunidade de trabalhar pelo desenvolvimento da arte suave, em busca de uma profissionalização para os lutadores e também para o crescimento das competições na região.

    9
    Claudio tem um longo histórico em organizar competições em Florianópolis (Foto reprodução)

    “Estou muito satisfeito com a oportunidade de trabalhar com quem pensa muito parecido comigo. Acredito em um novo momento para o Jiu-Jitsu de Santa Catarina e para o Sul do país, com grandes oportunidades de desenvolvimento na vida profissional dos competidores. Juntando nossas experiências podemos evoluir muito no que se trata de campeonatos, concedendo títulos importantes para o currículo dos atletas, proporcionando prêmios em dinheiro, passagens e inscrições nos próximos eventos da organização (UAEJJF), por exemplo”, comentou Cláudio.

    Cláudio vem há dez anos participando da organização de torneios de Jiu-Jitsu em Santa Catarina, como o Campeonato Sul-Americano, Sul-Brasileiro e o Floripa Open, por exemplo. Ele acredita que essa bagagem adquirida tem o ajudado neste processo de profissionalização idealizada pela UAEJJF.

    “Sim, sem dúvidas. Esse momento que o Jiu-Jitsu está vivendo com a FBJJ/UAEJJF nada mais é que a evolução do esporte, é o caminho natural para a profissionalização da modalidade, assim como por exemplo, aconteceu com o Surf e, depois, com o Skate desde a sua criação para o que é hoje, com circuitos profissionais milionários onde seus atletas vivem dignamente da sua imagem como ídolos patrocinados e das premiações das competições. Com um atrativo sistema de pontuação e ranking, aliados às competições muito bem organizadas por todo Brasil e no mundo, esses campeonatos colocam em disputa títulos muito expressivos para o currículo dos competidores, além de proporcionar premiações que fazem jus a todo esforço, dedicação e investimento de tempo e dinheiro por parte dos atletas competidores em suas preparações na busca de viver exclusivamente como atleta de competição”, apontou Cláudio, que já projeta novos planos para Associação.

    “Após o sucesso do UAEJJF Florianópolis International Pro, resolvi reestruturar a Associação para o Desenvolvimento do Jiu Jitsu (Ass.DJJ) e transformá-la em Federação com o único propósito de seguir os passos da FBJJ/UAEJJF e promover outros campeonatos com melhores premiações. Acredito que profissionalizar é criar condições favoráveis a fim de viabilizar o sonho do atleta de poder viver unicamente do esporte, ganhando o suficiente para ter uma vida digna como competidor e poder proporcionar, segurança e conforto para si e para seus familiares”, encerrou o presidente.

    5 COMENTÁRIOS

    1. Indiscutível que o jiu-jitsu é mto eficiente, mas dizer que só ele salva já é demais.
      Maior prova que o jiu-jitsu não é a arte mais eficiente está no próprio UFC, Todos os campeões(ãs) tem como maior arma a luta em pé, alguns combinam com wrestler.
      O pessoal da tatame exalta só jiu-jitsu, inclusive nos programas do canal combate.
      Luciano Andrade, para de inventar nome de golpe e de arte marcial, ” Pq lá fora dizem assim ou assado”
      velho vamos falar como se diz aqui no Brasil, deixa de querer inventar moda, para de ficar teimando com os outros apresentadores sem ter argumento que fica feio pra vc.

      • Ah meu irmão, não me venha com essa tbm você, falar do cara que é um estudioso das artes marciais vc está de brincadeira. Qual a sua base e especialidade para falar isso? Espero que tenha uma e realmente seja especialista e não um iniciante.

      • Você deu o exemplo do UFC , que uma evento que com suas regras limita a riqueza e eficiência do Jiu-Jitsu, e todos os lutadores do MMA que estão no topo treinam muito Jiu-Jitsu, para conseguirem se defender e usar sua especialidade.

    2. Pode ser estudioso, mas fala muita asneira, e como falei anteriormente o jiu-jitsu é indispensável sim todos sabem disso,por isso todos tem que treinar pelo menos pra se defenderem.
      Mas tenho minha opinião e existe esse canal pra isso.

      • Jefferson, respeito sua opinião, mas não concordo quando generaliza dizendo ” todos sabem disso”. Todos quem?? A maioria dos lutadores treinam jiu jitsu, não só para se defender como tbm para atacar, tanto que algumas vezes vimos lutadores que não é do jiu jitsu finalizando lutas, enfim. Lembre-se que o verdadeiro objetivo do jiu jitsu não é bater e sim evitar de apanhar.
        Ha e lembro que quase todas as equipes, senão todas, tem professores brasileiros de jiu jitsu em seus staff como prioridade. Abs

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome