Cigano é retirado do UFC 215 por suposta violação em antidoping; empresária defende o lutador

por: TATAME | @tatameofficial
Publicado em 19/08/2017
Cigano é retirado do UFC 215 por suposta violação em antidoping; empresária defende o lutador Cigano está de volta ao UFC após ser absolvido de doping e encara Ivanov em Boise, nos EUA (Foto Getty Images / UFC)

publicidade

Marcado para acontecer no dia 9 de setembro, em Edmonton, no Canadá, o UFC 215 teve uma baixa importante em seu card. Ex-campeão peso-pesado do Ultimate, Junior Cigano está fora do confronto diante do casca-grossa Francis Ngannou. Isto porque, na última sexta-feira (18), foi anunciado que o brasileiro recebeu uma notificação da USADA (Agência Antidoping dos Estados Unidos) por conta de uma possível violação à política antidoping da companhia. Vale ressaltar que a amostra de Cigano foi coletada no dia 10 deste mês, ou seja, em período fora de competição.

Junior Cigano recebeu notificação da USADA por potencial violação antidoping (Foto: Getty Images)

Cigano recebeu notificação da USADA por potencial violação antidoping (Foto Getty Images / UFC)

A organização do UFC foi informada pela Agência Antidoping Norte-Americana (USADA) de que Junior do Santos foi informado de uma potencial violação à Política Antidoping decorrente de uma amostra coletada em 10 de agosto de 2017, fora do período de competição. Por conta da proximidade com a luta marcada para o UFC 215, em Edmonton, no Canadá, na qual enfrentaria Francis Ngannou, Dos Santos foi retirado do card e o UFC está procurando um substituto. A USADA, que administra de forma independente a Política Antidoping do UFC, vai analisar os resultados e administrar o julgamento apropriado para este caso. É importante ressaltar que um processo de revisão legal do caso é oferecido aos atletas antes de qualquer sanção ser imposta. Assim como em outras violações da Política Antidoping, informações adicionais serão fornecidas de acordo com o avanço do processo“, afirma o comunicado oficial do Ultimate

Cigano pede contraprova de exame

Após tomar conhecimento da notificação pela possível violação à política antidoping da USADA, a equipe de Junior Cigano divulgou um comunicado revelando que a substância encontrada na amostra coletada no último dia 10 de agosto trata-se da hidroclorotiazida, um diurético que é proibido pelo código da WADA (Agência Mundial Antidoping) por mascarar ou dificultar a pesquisa do uso de substâncias proibidas. Além disso, a nota afirma que Junior solicitou a contraprova do exame e que conversou por telefone com Ngannou após o combate ser cancelado para se desculpar.

Junior Cigano tinha duelo marcado contra Francis Ngannou para o UFC 215 (Foto: Getty Images)

Cigano tinha duelo marcado contra Francis Ngannou para o UFC 215 (Foto Getty Images / UFC)

Veja os depoimentos abaixo:

Estamos tentando entender os resultados do exame, para então poder investigar e determinar o que aconteceu. O que nós sabemos agora é que Junior dos Santos nunca fez uso de substâncias para melhora de performance, nunca tomou com conhecimento qualquer substância proibida e sempre apoiou as politicas e esforços da USADA para manter o esporte limpo, com certeza.

Se sempre existiu um lutador que tornou a sua posição clara e inequívoca nesta questão foi Junior. Estamos confiantes de que iremos determinar o que aconteceu e dar uma explicação quando tivermos uma”.

Logo depois, a empresária do lutador, Ana Guedes, em um novo comunicado, desta vez divulgado pelo site MMA Fighting, tratou de sair em defesa de Junior Cigano, ressaltando que o brasileiro nunca fez uso de substâncias proibidas e garantido que toda essa situação será esclarecida.

“Junior testou positivo para uma substância chamada hidroclorotiazida, que é um diurético proibido pela USADA por ser considerado um agente mascarante. Nós não sabemos de onde veio. Junior teve seu sangue e urina testados aleatoriamente por muitas vezes e nunca testou positivo para uma substância proibida.

Nós solicitamos hoje testes na amostra B. Muitas vezes, a amostra B poderá mostrar resultados idênticos à amostra A. Porém, nós já estamos analisando seus suplementos nutricionais e medicações para determinar se alguma coisa estava contaminada. Jeff Novitzky e Donna Marcolini, do UFC, forneceram orientações para esse processo, e agradecemos pelo profissionalismo e competência com que tudo sem sido tratado.

Junior permanece comprometido e apoiando o programa antidoping da USADA – mesmo que esteja passando por uma consequência infeliz disso. Ele conversou pessoalmente com Francis Ngannou e pediu desculpas pela consequência não intencional. Junior agradece a Francis pela simpatia, compreensão e respeito, e está muito ansioso para que ele e Francis tenham uma nova data para se enfrentarem”.

Veja também

publicidade

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade