Rodolfo Vieria analisa duelo pelo Shooto Brasil e cita evolução no jogo em pé após estreia: ‘Muito melhor’

Publicado em 24/08/2017 por: Mateus Machado
Rodolfo Vieria analisa duelo pelo Shooto Brasil e cita evolução no jogo em pé após estreia: ‘Muito melhor’ Rodolfo Vieira mostrou-se empolgado para o seu segundo desafio no MMA (Foto: Reprodução)

publicidade

Por Mateus Machado

Multicampeão no Jiu-Jitsu, Rodolfo Vieira decidiu deixar o esporte onde se consagrou em busca de um novo desafio: o sonho de construir uma história de sucesso e conquistas, desta vez no MMA. O faixa-preta fez a estreia na modalidade em fevereiro deste ano, em São Paulo, pelo evento Arzalet Fighting Globe Championship (Real Fight), ao finalizar Zarylbek Daniyar com um mata-leão ainda no primeiro round. No próximo domingo (27), o carioca fará seu segundo combate, agora lutando pelo Shooto Brasil 74, diante de Natalício Nascimento, em luta válida pela divisão dos meio-pesados.

Se o seu primeiro duelo pelo MMA, em São Paulo, contou com uma torcida em peso, que transformou o Ginásio do Ibirapuera em um verdadeiro “caldeirão”, o segundo desafio, no Rio de Janeiro, promete um apoio ainda maior dos fãs, por se tratar da sua cidade natal. Em entrevista exclusiva à TATAME, Rodolfo falou da expectativa de lutar na “Cidade Maravilhosa”, agora no MMA.

Rodolfo Vieira mostrou-se empolgado para o seu segundo desafio no MMA (Foto: Reprodução)

Rodolfo Vieira mostrou-se empolgado para o seu segundo desafio no MMA (Foto reprodução)

“Lutar em São Paulo foi bom demais, mas aqui no Rio de Janeiro tem tudo para ser perfeito, né? É a minha cidade, onde eu nasci, onde a maior parte da minha equipe está, minha família, meus amigos… Claro, tem uma responsabilidade grande, mas eu gosto de lutar em casa”, disse o faixa-preta.

Confira outros trechos da entrevista com Rodolfo Vieira: 

– Oportunidade de lutar no Shooto Brasil

Eu já estava treinando para lutar o evento que sou contratado, o Real Fight, em Curitiba. Já estava certo, mas houve um problema lá, mudaram a data… Seria no dia 2 de setembro e mudaram a data para outubro, e aí surgiu essa oportunidade (de lutar no Shooto Brasil). O Dedé (Pederneiras, organizador do Shooto) estava fazendo o Shooto agora, em agosto, e eu já estava com vontade de lutar, não queria esperar tanto. Achei que daria para lutar, conversei com os meus técnicos e eles disseram que dava tempo de eu chegar bem, e eu também estava confiante, por isso aceitei lutar.

– Análise sobre o adversário, Natalício

Eu não vi muita coisa sobre ele, não. Tem um cartel bom, com quatro vitórias e duas derrotas. As duas últimas ele perdeu, mas foram lutas duras, na decisão. Ele é um cara muito bom em pé, aguenta porrada, e eu vou entrar na luta como eu entro em todas… Como eu entrava no Jiu-Jitsu, sempre respeitando meu adversário. Ainda mais no MMA, que eu estou pegando um cara mais experiente que eu, não tem como eu entrar menosprezando, nunca vou fazer isso. Mas é isso, eu vou chegar lá, dar o meu melhor. Treinei muito, estou pronto e espero sair com mais uma finalização.

– Luta em casa após estreia perfeita em São Paulo

Lutar em São Paulo foi bom demais, mas aqui no Rio de Janeiro tem tudo para ser perfeito, né? É a minha cidade, onde eu nasci, onde a maior parte da minha equipe está, minha família, meus amigos… Claro, tem uma responsabilidade grande, mas eu gosto de lutar em casa, gosto de sentir a energia da galera, o pessoal torcendo. Vai ser ótimo, espero não decepcioná-los (risos).

– Evolução na luta em pé após primeira luta

A evolução está indo devagar. Estou melhorando cada vez mais, devagar, sem pressa. Estou treinando bastante Boxe lá na American Top Team com o Kelson (Pinto). Em relação à primeira luta (na trocação), eu estou muito melhor… No mínimo, umas duas vezes melhor em relação à minha primeira luta (risos). Porque eu realmente me dediquei muito nessa parte, claro, sem esquecer a minha área, que é o Jiu-Jitsu, mas eu foquei muito na parte em pé nesses últimos tempos.

O multicampeão de Jiu-Jitsu ressaltou seu foco e evolução na luta em pé (Foto: Reprodução)

O multicampeão de Jiu-Jitsu ressaltou o seu foco e evolução na luta em pé (Foto reprodução)

– Relação atual com Julio César, mestre na GFTeam

O Julio (César) agora participa meio que de longe, né? Não tem como ele estar perto de mim, infelizmente, porque era ótimo estar com ele todos os dias. Mas ele tem o trabalho dele, tem a equipe para liderar, os atletas competindo, que precisam dele. Mas sempre que dá, a gente se fala, o Júlio é um cara que me passa muita confiança, uma pessoa que eu gosto muito de estar perto. A gente tem uma relação muito boa… Eu passei um perrengue agora, porque ele disse que vai estar em Las Vegas (EUA), que vai tentar mudar a passagem para poder chegar a tempo da minha luta. Eu estou aqui rezando, porque não quero fazer minha segunda luta, aqui no Rio de Janeiro, sem ele estar presente. Mas eu acho que vai dar tudo certo e ele vai estar com a gente (risos).

CARD COMPLETO:

Shooto Brasil 74
Upper Arena, no Rio de Janeiro
Domingo, 27 de agosto de 2017

Marlon Sandro x Diego Arturo
Rodolfo Vieira x Natalício Nascimento
Geraldo de Freitas x Luciano Benício
Iliarde Santos x Pedro Falcão
Jeferson Minotauro x Handesson Boy Doido
Luan Danger x Jafel FIlho
Edilson Teixeira x Fernando Bruno
Romário Boaes x Bruno Malfacine
Yan Teixeira x Jonatha Silva
Douglas Rackall x Renato King
Elvis Batista x Carlos Eduardo Carlin
Jessica Correa x Joice Mara da Silva

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade