Pelos filhos, Jones nega que tenha ingerido qualquer substância irregular: ‘Jamais usaria esteroides’

    Jon Jones teve a amostra B com resultado positivo para substância ilícita (Foto: Getty Images)

    Nesta semana, a USADA, Agência de Antidoping dos Estados Unidos, confirmou o doping de Jon Jones na amostra B do exame coletado no UFC 214, em julho. “Bones”, que viu o cinturão dos meio-pesados retornar para Daniel Cormier e a vitória transformada em “No Contest”, resolveu se manifestar pela primeira vez a respeito do uso de substâncias proibidas. Através das redes sociais, o lutador jurou “pelos filhos” que não ingeriu nada de irregular.

    “Cara, a verdade é que eu jamais usaria esteroides, eu juro pelos meus filhos e juro por meu Pai no Céu”, postou Jones, através do Twitter.

    Anteriormente, assim que saiu a informação que teria violado a política de antidoping da USADA, Jones fez postagens enigmáticas no Twitter e sempre com tom de autoajuda. Pessoas próximas, como seu empresário e membros da equipe, confiam na inocência do ex-campeão e procuraram entender o que, de fato, aconteceu.

    Vale lembrar, que a substância encontrada no organismo de Jones é chamada de turinabol, responsável por ganhos musculares. De acordo com o código da USADA, é previsto um gancho de dois anos, contudo, como “Bones” é o reincidente em violar a política de antidoping, existe a possibilidade de uma suspensão de até quatro anos.