Malfacine ‘abre’ rotina após migração e revela inspirações dentro do MMA; saiba

    Bruno Malfacine falou de sua rotina desde que decidiu migrar para o MMA (Foto: Lucas Pacheco)
    Bruno Malfacine falou sobre a sua rotina desde que decidiu migrar para o MMA (Foto Lucas Pacheco)

    Por Mateus Machado

    Após estrear com vitória dentro do MMA, ao finalizar Romário Garcia com um armlock no primeiro round no card do Shooto Brasil 74, Bruno Malfacine já começa a pensar em sua sequência no esporte. Nove vezes campeão mundial de Jiu-Jitsu – entre inúmeras outras conquistas -, o faixa-preta também quer fazer história na nova modalidade, e para isso, tem inspirações para seguir em frente e obter sucesso no seu objetivo.

    Suas duas inspirações estão dentro do Ultimate e já foram campeões em suas respectivas categorias. Tratam-se do meio-pesado Jon Jones e do peso-pena José Aldo, a quem Malfacine admira e admite estar moldando o seu jogo em relação ao estilo dos dois lutadores, conforme revelou o atleta da Alliance em entrevista exclusiva à TATAME.

    “Gosto muito do estilo do Jon Jones e também do José Aldo. Estou moldando meu jogo e eles têm algumas características que quero incluir no meu jogo”, disse o multicampeão.

    Confira outros trechos da entrevista com Bruno Malfacine:

    – Rotina desde a transição para o MMA e o Jiu-Jitsu nesse processo

    Nesse último camp, tivemos que nos adaptar ao material que tínhamos. Como eu disse, tive que treinar sete vezes por semana por alguns meses. Sei que não é o correto, mas era a única opção que tínhamos para o momento. O Jiu-Jitsu sempre esteve e vai estar presente na minha rotina. Eu ainda dou aula e treino muito com meus alunos. Tomarei todo cuidado para não perder minha essência. É isso o que faço de melhor, não pretendo cair na armadilha de deixar de treinar Jiu-Jitsu e deixar meu nível se igualar aos demais.

    – Treinos na American Top Team e participação de Ricardo Libório

    A mudança do Mestre Libório para Orlando (EUA) foi o principal motivo dessa transição, ele é o responsável. Na realidade, eu visitei sim a ATT e treino com alguns coaches que trabalham e treinam lá, mas todo o meu camp foi realizado na minha academia, a Alliance Orlando. Estou feliz demais e me sinto abençoado por ter a oportunidade de ter o Mestre Libório cuidando disso tudo. Além do trabalho dele de headcoach, ele tem me ensinado tudo sobre o meio do MMA. É um cara especial e temos uma sintonia muito bacana.

    – Participação e contato com os amigos da Alliance atualmente

    Sim, estou sempre em contato (com atletas da Alliance). Quem não ajuda diretamente, está ligado indiretamente. O meu professor Fabio Gurgel foi a primeira pessoa a saber sobre essa decisão (de ir para o MMA). Infelizmente, ele não pôde estar na minha estreia, mas estamos sempre conectados… Nos falamos no dia da pesagem, minutos antes da luta e após a luta. Alguns alunos também me ajudam bastante no meu treinamento.

    Bruno Malfacine estreou no MMA com vitória por finalização no primeiro round (Foto: Natalino Werneck)
    Bruno Malfacine estreou no MMA com vitória por finalização no primeiro round (Foto Natalino Werneck)

    – Sparrings com grandes nomes dentro da American Top Team

    Como disse, não tive a oportunidade de treinar muito na ATT devido aos compromissos com meus alunos em Orlando. Então, fazia sparring com meus alunos e algumas pessoas que estavam nos ajudando nesse camp. Mas o meu primeiro sparring foi com um atleta da ATT, o Adriano Moraes. Ele é campeão do ONE Championship e tem me ajudado bastante.

    – Principais inspirações dentro do MMA na hora de lutar

    Gosto muito do estilo do Jon Jones e também do José Aldo. Estou moldando o meu jogo e eles têm algumas características que quero incluir no meu jogo, com certeza.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome