Árbitro ‘cobra’ Conor por atuação como córner: ‘Ele não pode fazer o que quiser’

    Conor McGregor se empolgou durante luta de companheiro de treino no UFC Polônia (Foto Getty Images / UFC)

    Mesmo quando não sobe ao octógono, Conor McGregor chama a atenção no Ultimate e cria polêmicas. No último sábado (21), durante a derrota de Artem Lobov, companheiro de treino do irlandês, para Andre Fili, o campeão dos leves da organização – que não estava no córner do russo – se empolgou ao incentivar o lutador, em confronto válido pelo card preliminar do UFC Polônia. Ao site MMA Fighting, o árbitro da luta, Marc Goddard, explicou o motivo de ter interrompido o embate e chamado a atenção de “Notorius”.

    “O motivo pelo qual intervi é porque Artem recebia instruções de um quarto córner sem poder. Isso não é permitido. Conor estava praticamente agindo como um quarto córner, caminhando ao redor do cage, onde e quando quisesse. Quando Fili derrubou Artem, Conor estava ali. Isso simplesmente não é justo e não é permitido. Eu não vou deixar isso. Ele não pode fazer o que quiser”, contou o árbitro, afirmando que McGregor poderia gritar o que e quanto quisesse, mas não da forma como estava agindo, circulando o octógono.

    “Se Conor se levantasse e ficasse em seu lugar, então, ele poderia ter gritado até com o coração dele. Isso é o que ele deveria fazer. Mas o que ele simplesmente não pode fazer, o que ele não tem permissão para fazer, é encostar no cage em qualquer ponto e agir como um quarto córner. Isso é injusto. Qualquer um que me conhece irá dizer-lhe que fiz isso sempre, em qualquer país e em qualquer situação. Minha integridade não é vacilante e nem as regras. Não podemos permitir isso. Simplesmente eu tinha que agir”, encerrou.

    2 COMENTÁRIOS

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome