Cyborg discute com Holm por antidoping e critica time rival: ‘Quem mais falhou?’

Publicado em 18/10/2017 por: Yago Redua
Cyborg discute com Holm por antidoping e critica time rival: ‘Quem mais falhou?’ Cyborg parabenizou Ronda por título, mas não deixou de alfinetar a rival americana (Foto Getty Images / UFC)

publicidade

Prováveis adversárias no UFC 219, marcado para o dia 30 de dezembro, em Las Vegas (EUA), Cris Cyborg, campeã peso-pena, e Holly Holm trocaram diversas farpas nesta semana, a respeito dos exames antidoping realizados antes do possível embate. Ao ser testada pela USADA (Agência de Antidoping dos Estados Unidos), a curitibana disparou nas redes sociais e pediu que a americana também passasse pela mesma quantidade de testes. A ex-campeã peso-galo, então, usou o seu Instagram para rebater a brasileira.

“Parece que houve um pequeno drama, porque a USADA foi à casa de Cris Cyborg. Eu sei que ela tem falado muito sobre isso nas redes sociais, e eu não me importo. Ela está tentando promover suas lutas. Cyborg disse que vem sendo testada pela USADA e que eu não estaria sendo tão testada quanto ela. Mas ela deveria olhar os dados na página da USADA e ver que eu fui testada nove vezes, contra as oito vezes dela. Mas isso não é uma disputa, não estou nem aí. Só sei que me mantenho limpa e que eles sempre me testam. Não preciso ser premiada por passar no meu teste. Vou gastar o meu tempo treinando, enquanto ela pode continuar reclamando, fazendo acusações e memes falsos”, comentou Holm, que logo em seguida recebeu a tréplica da atual campeã peso-pena do UFC.

“Holly declarou em suas redes sociais que ela foi testada uma vez a mais que eu em 2017. Os números estão confusos, entretanto, já que ela lutou três vezes no ano contra apenas uma luta minha, ela também esqueceu de dizer que só um teste foi no último trimestre. Eu não vejo a USADA como uma coisa negativa. Na verdade, eu apoio que passemos o ano todo sendo testados como atletas olímpicos! Alguns críticos apontam que minha falha de seis anos atrás é um motivo para ser mais testada. Mas eu acredito que a reputação da academia dela e a oportunidade de provarmos que estamos limpas é a justificativa para sermos testadas o mesmo número de vezes enquanto nos preparamos para lutar uma com a outra. Desse jeito ela não terá desculpas quando eu der uma surra nela”, escreveu Cris.

Holly ironizou as declarações da brasileira e disse que é um “pequeno drama” (Foto Getty Images / UFC)

Cyborg seguiu com o comunicado em seu site oficial e disparou contra a Jackson-Wink MMA, academia que Holly treina, e o treinador da norte-americana, Mike Winkeljohn.

“Alguma outra equipe falhou mais no antidoping do que a Jackson-Wink MMA? No ano passado, o técnico da Holly Holm fez de tudo para adiar minha luta por causa de uma amostra contaminada, mesmo que a própria USADA tenha me declarado limpa para lutar, com uso terapêutico da substância espironolactona, após um detalhado relatório de médicos independentes. Winklejohn declarou que queria me ver testada por um ano antes da luta. Não sei se ele pensa o mesmo de Alistair Overeem, Jon Jones, Shane Carwin, Ali Bagautinov, Nate Marquadt, Frank Mir e vários outros lutadores pegos no doping que treinam com ele no Novo México. A boa notícia é que desde essa entrevista, eu completei o ‘ano de testes’ sem incidentes. Apoio integralmente a USADA e acredito que provei aos meus fãs que aprendi com o erro que cometi seis anos atrás. Cresci como atleta. Para que não exista confusão, quero que Holly Holm seja testada o mesmo número de vezes que eu de 01/10/2017 até 30/12/2017”, apontou Cyborg, em parte do comunicado divulgado.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade