Tony Ferguson atingiu a marca expressiva de dez vitórias seguidas dentro do Ultimate, no último sábado (7), pelo UFC 216. Com a finalização sobre Kevin Lee, na luta principal da noite, “El Cucuy” conquistou o cinturão interino dos leves. Em entrevista coletiva, ainda na T-Mobile Arena, em Las Vegas, o lutador comentou sobre a sensação de ter o título e disse que pretende deixar um legado ainda maior.

“Era a oportunidade da minha vida. É sensacional representar a mim e ao meu time e, acima disso, minha família e meus amigos. É uma oportunidade incrível de poder demonstrar o que eu não consegui voltar em março. Queria ser um dos primeiros a lutar na T-Mobile Arena. Não aconteceu, e eu fiquei muito frustrado. Tive que voltar para a estaca zero e ter a humildade de saber que teria que lutar para construir meu caminho até essa luta. Estou muito emocionado. Esse cinturão é pesado, mas meus ombros são fortes e o aguentarão por muito tempo. Dez vitórias são melhores que nove. Dez vitórias consecutivas. Ainda detenho o recorde de maior número de vitórias seguidas na história do peso-leve. Meu objetivo não é o cinturão, é o Hall da Fama. Quero deixar um grande legado para o meu filho. Eu luto para que ele não tenha que lutar”, disse Ferguson.

No primeiro round, Lee teve um domínio maior da luta e Ferguson pareceu um pouco “displicente” no combate. Ao ser indagado sobre isso, o campeão interino revelou que essa era parte da estratégia e que seu adversário gastou “muita energia” no começo do embate.

“Me sinto muito bem, estou forte. Eu fiz uma estratégia inteligente para esta luta, mas Kevin mostrou muita força no round inicial. Ele teve muita energia nos golpes no solo, mas eu sabia que tinha cinco rounds para ganhar. Eu uso muita energia durante as lutas, e foi uma grande oportunidade de demonstrar minhas habilidades na luta agarrada. Eu sabia que tinha cinco rounds pela frente, e sabia também que não deixaria o resultado nas mãos dos juízes. MMA não é Wrestling, onde os lutadores usam toda a sua energia em um golpe. Eu sabia que ele não duraria muito. Ele não se preparou como eu, e eu sabia que o seu gás não era tão bom quanto o meu, porque eu sou mais experiente. Tiro o meu chapéu para Kevin. Foi um grande oponente, tem muito coração e vocês ainda vão vê-lo muitas vezes por aqui”, apontou “El Cucuy”, que aproveitou para disparar contra Conor McGregor, campeão linear dos leves.

“Conor, você é um filho da p… de mentira. Estou bem aqui. Você não pode fugir disso falando. Tem que unificar o cinturão”, encerrou.