Coluna da Arte Suave: a decisão do atleta sobre competir ou não um campeonato; veja e opine

Publicado em 01/11/2017 por: Mateus Machado
Coluna da Arte Suave: a decisão do atleta sobre competir ou não um campeonato; veja e opine Em seu novo artigo, Luiz Dias fala sobre a decisão de competir ou não um torneio (Foto: Divulgação)

publicidade

Por Luiz Dias

Acredito que essa pergunta deve sondar a mente de todos os lutadores. Vou competir ou não? São os parceiros de treino da equipe que dão força, os amigos e a própria vontade do atleta, o desafio lançado pelo professor. Mas competir sempre é uma pressão, uma expectativa que fica com o atleta.

Existem atletas que são competidores natos, ficam tranquilos antes, durante e depois do combate. Competir é com eles mesmos. Conheço vários e grandes competidores, competir é a meta de todos os seus treinos, sempre focando no próximo campeonato, o que é uma excelente motivação para o desenvolvimento do atleta. Creio ser importante todo lutador correr alguns campeonatos, faz parte do caminho de qualquer lutador, mesmo que corra poucos campeonatos, acho importante essa experiência.

Todo atleta deveria competir algumas vezes, se testar, acredito que muitos vão gostar da sensação de competir, podendo até se tornar um grande competidor, e outros não, mas terão vivido a experiência que certamente modificará a sua maneira de treinar. Todo competidor também deve estar consciente de sua condição para ir lutar um campeonato. Treinou duro? Aeróbico em dia? Está batendo o peso certo? Crie seus objetivos.

Há pouco tempo, li a entrevista de um excelente competidor, que dizia que em seus primeiros dez campeonatos, perdeu TODOS nas suas primeiras respectivas lutas, mas ele tinha um foco em sua mente, competir, e hoje ele brilha nos campeonatos, corrigiu seus erros, aprimorou suas qualidades e evoluiu, esse é o caminho. Mas ao mesmo tempo, existem excelentes lutadores também que não tem o perfil de competidor, não gostam de competir, mas dão excelentes treinos em suas academias.

Por vezes, até surge aquela pergunta entre os amigos: “Por que ele não entra em campeonatos?”. Gostar de competir não é uma obrigação e nem vejo como se fosse um defeito um lutador que não goste de competir. O Jiu-Jitsu, para muitos, é uma estilo de vida. É o momento onde ele relaxa, estuda novas posições, treina duro, e está excelente assim para ele, e sem dúvida, proporciona treinos excelentes para quem compete.

A nossa arte suave se molda perfeitamente para todas as personalidades de lutadores, competidores ou não. A filosofia do Jiu-Jitsu inspira a todos os atletas a ultrapassarem seus limites em treinos nas academias ou em lutas de campeonatos. Mas respeitando o perfil de cada um. Todo lutador tem suas lembranças de lutas de campeonatos, alguns até com medalhas, mas vejo a competição como um desafio, uma experiência que todo atleta deveria vivenciar. Mesmo que não goste de competir, acho que sair da sua zona de conforto e viver esse desafio é instigante.

Uma boa conversa com o seu professor também é muito importante. Ele, mais do que ninguém, saberá avaliar se está em condição para competir, o que pode melhorar para a competição ou se prepara um pouco mais para competir em melhores condições nos próximos campeonatos. A todos os lutadores, fica uma sugestão: pensem em correr um campeonato!

Para mais informações, veja https://www.instagram.com/luizdiasbjj/ ou entre em contato pelo e-mail geracao.artesuave@yahoo.com.br. Também conheça o http://www.geracaoartesuave.com.br/. Boa semana, bons treinos e até a próxima!

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade