Lepri analisa temporada, cita erro crucial em vice no ADCC e crava: ‘Em 2019 to lá’

    Lepri bateu na trave mais uma vez este ano, mas garante voltar em 2019 (Foto reprodução FloGrappling)

    Quatro vezes campeão mundial e dono de inúmeros outros títulos na arte suave, Lucas Lepri ainda busca conquistar o ADCC, considerado o maior torneio do mundo de luta agarrada. Em 2017, o brasileiro mais uma vez bateu na trave, ficando com o vice no evento realizado na Finlândia, assim como em 2015, quando levou a prata em São Paulo.

    Porém, o faixa-preta da Alliance não desanima. Em entrevista à TATAME, Lepri analisou sua temporada de uma forma geral e, com mais foco, falou sobre o ADCC. O lutador citou um erro como fator decisivo na sua derrota para JT Torres, na grande decisão até 77kg.

    “Na final foram 30 minutos de luta, eu estava muito bem, com ritmo, apliquei duas quedas, mas que não valeram pontos. Depois tive uma chance de ir para as costas, mas perdi a pegada, e no alto nível do esporte isso é algo que você não pode deixar acontecer. Tive um erro ali. Cheguei em uma posição favorável para fazer os pontos e até mesmo finalizar, mas não consegui. Na sequência o JT teve a mesma chance e soube aproveitar”, contou.

    Confira a entrevista com Lucas Lepri abaixo:

    – Sensação ao conquistar sua segunda prata no ADCC

    A sensação é incompleta né, de não ter completado o percurso. Está faltando alguma coisa, um detalhe aqui outro ali, mas que no final das contas faz toda diferença. Mas com certeza vou voltar ainda mais forte em 2019, sei que eu vou chegar lá, é questão de tempo. O meu condicionamento físico estava muito bom, me senti forte, mas o erro técnico definiu a luta.

    – Surpresa com o JT Torres levando o título até 77kg

    Eu já sabia que ele (JT) ia chegar, é um moleque talentoso, muito duro. A gente vem lutando desde 2008, fazem muitos anos que nos conhecemos, já lutamos 14 vezes, eu ganhei a maioria, mas ele é um cara duro, porém bom de lutar. Joga sempre pra frente.

    – Análise da participação geral da Alliance no ADCC

    A Alliance teve uma participação muito boa. Foram dois ouros, com o Cobrinha e a Gabi Garcia, e uma prata comigo, então quase 100% de aproveitamento né. Foi muito bom ver a Gabi voltando e conquistando o tri dela, assim como o Cobrinha, faturando o terceiro título dele com uma performance sensacional. Ele é um exemplo para a gente, uma inspiração. Fiquei muito feliz com o resultado do time, com certeza um grande show.

    – Planos para a reta final do ano e balanço de 2017

    O ADCC foi o meu último evento deste ano, disputei três campeonatos que eram os meus maiores objetivos: o Pan, o Mundial e o ADCC. Venci os dois primeiros, meu quinto Pan e meu quarto Mundial, o primeiro peso-leve a conseguir isso, e fiquei em segundo no ADCC, então o balanço foi bom. Um ano produtivo, com resultados expressivos no que busquei.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome