Tanquinho ressalta importância do Jiu-Jitsu no MMA e planeja retorno ao UFC no seu aniversário: ‘Especial’

    Augusto Tanquinho vem de derrota para Sterling em sua última luta (Foto: Getty Images)
    Augusto Tanquinho conseguiu provar inocência e voltará ao MMA lutando pelo ACA (Foto Getty Images)

    Por Yago Rédua

    Lutador do Ultimate desde o início do ano passado, Augusto Tanquinho ainda não embalou na organização. Até agora, o faixa-preta soma três lutas no peso-galo, com duas derrotas e uma vitória. Enquanto não volta à ação pela franquia, o brasileiro resgatou suas raízes na arte suave ao participar do ACB JJ 9, realizado no início deste mês, na Rússia.

    Por lá, o faixa-preta teve grande atuação, conquistando o cinturão do GP No-Gi até 60kg ao vencer três lutas, duas delas por finalização. Recuperado da lesão na tíbia que o tirou do UFC São Paulo e embalado pelo título do ACB JJ, Tanquinho agora quer retornar ao Ultimate e, em entrevista à TATAME, revelou seu ideia de data ideal: março de 2018.

    “Estamos iniciando a conversa agora. Estou tentando uma brecha para lutar no UFC de março, em Las Vegas (EUA). Não sei se vou conseguir. Eu queria esse evento porque é no dia do meu aniversário, 3 de março, e pelo evento ser em Las Vegas, que é perto da minha casa, seria um evento muito especial para mim. Eu iria poder reunir minha família, amigos, companheiros da academia… Esse é o meu desejo. Nunca escolhi adversário. Se você olhar o meu histórico no UFC, sempre peguei caras duros. Contanto que eles me deem tempo para treinar. Eu só quero ter bastante tempo para treinar e bater bem o peso”, projetou o brasileiro, ressaltando ainda a força que o título no ACB JJ o dá para seu retorno ao UFC.

    “Com certeza ajuda. Muita gente não gosta de lutar, porque você pode se machucar e sair do UFC. Eu tinha uma luta marcada no UFC São Paulo e me machuquei no treino. Tive que cancelar ela. Então, voltei a treinar e tive essa chance de lutar no ACB Jiu-Jitsu. Como eu não tinha luta no UFC, resolvi atuar. O UFC ainda é meu foco principal, mas o Jiu-Jitsu é a minha paixão. Participar de um evento como esse é uma maneira de me testar contra bons nomes do Jiu-Jitsu e também de manter o meu jogo de chão em alto nível para o UFC”.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome