Johnson pede ‘grande card’ para encarar Dillashaw e mira PPV: ‘Acho que mereço’

    Johnson é o novo integrante do plantel do ONE Championship e vai participar de GP em 2019 (Foto Getty Images)

    A longa negociação para a realização da superluta entre Demetrious Johnson, campeão dos moscas, e TJ Dillashaw, dono do cinturão dos galos do Ultimate, parece ter chegado a um “acordo comum” entre os lutadores. No entanto, em entrevista à ESPN americana, “Mighty Mouse” revelou suas exigências para assinar o contrato: um grande evento, com nomes de destaque em ação, para que tenha uma alta venda de pacotes de pay-per-view.

    “É o que o UFC quer, a superluta que todos desejam. Acho que eu e TJ estamos de acordo. Nós apenas queremos garantir que seja num card grande, garantir que possamos nos beneficiar de uma boa venda de PPV. Acho que eu mereço, e ele merece também”, disse Johnson, que seguiu fazendo suas pontuações e ressaltou que não quer ser o main event.

    “Eu prefiro ter outra pessoa no evento principal, que vai trazer muito mais pay-per-view. Na minha opinião, isso que impediu a luta até agora no meu lado. Vi caras pularem em pay-per-view (grandes) e receberem US$ 1,5 milhão, enfrentando adversários inferiores ao que vou enfrentar. Eu e TJ podemos lutar num card menor e conseguir 275 mil vendas, receber um cheque extra de US$ 75 mil. Meus managers me disseram, ‘sabe, vamos esperar por um evento maior’. Muita gente acha que isso é uma forma de evitar a luta, mas é na verdade uma forma de ser um homem de negócios esperto e receber o máximo de dinheiro que posso. Se pudermos ter três lutas pelo título, uma edição campeão contra campeão, isso deve vender bem. Se eles fizessem St-Pierre x Tyron Woodley, Amanda Nunes x Cyborg e eu contra o TJ, podem me enviar o contrato agora”, apontou.

    Ao ser indagado sobre a possibilidade de o UFC não aceitar os termos, Johnson afirmou que não vai topar a superluta. Explicou, ainda, que vai escolher o próximo desafiante do ranking e limpar a divisão dos moscas novamente. Vale lembrar que o “Mighty Mouse” chegou ao número de 11 defesas de cinturão consecutivas e se tornou o recordista do UFC.

    “Sou direto. Se o UFC vier e disser, ‘sabe, Demetrious, não vamos te dar isso’, vou dizer: ‘Perfeito, então mandem o desafiante número 1 no peso-mosca e TJ pode permanecer no peso-galo e enfrentar quem quiser’. É assim que eu sou quando se trata disso. Não vou ficar aqui discutindo. Isso é o que quero, se vocês não vão me dar, tudo bem. Vou seguir lutando na minha divisão. Querem tirar o meu cinturão? Beleza, perfeito. Me destituam. Vou escalar a divisão de novo. Já bati todo mundo na minha divisão, agora estou esperando minha oportunidade de estar num card que ganhe esse tipo de dinheiro”.

    5 COMENTÁRIOS

    1. Merece mesmo ja varreu a categoria e pra mim é o n°1 PFP no momento,tem lutador aí q não fez metade e o careca só falta liberar o caneco.

    2. Admiro demais o Mighty Mouse, acho o cara um grande campeão. Mais acho que as chances dele vencer TJ são as mesmas Connor McGregor vencer o Floyd “Money”….

    3. tem mesmo é que bater o pé e fazer exigências como o McGregor fez e embolsou uma grana preta. O careca é avarento, paga mixaria aos lutadores e enche os próprios cofres com as lutas.

    4. Tá certíssimo o Demétrius! O cabeça de rollon trata tudo como negócio, pra ele não existe merecimento, o que existe é tão somente o que gerar mais receita pra empresa dele, porque o UFC é uma empresa! Então, o lutador tem que ter o faro de homem de negócio, usar a massa cinzenta e não somente os músculos, pra fazer seu pé de meia. É isso aí, camundongo!

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome