DC rechaça ida aos pesados por ‘amizade’ com Cain e projeta aposentadoria: ‘Terminar aos 40 anos’

por: TATAME | @tatameofficial
Publicado em 24/01/2018
DC rechaça ida aos pesados por ‘amizade’ com Cain e projeta aposentadoria: ‘Terminar aos 40 anos’ Daniel Cormier quer encerrar a carreira em março de 2019, aos 40 anos (Foto Getty Images / UFC)

publicidade

Daniel Cormier, campeão meio-pesado do UFC, defendeu seu título contra Volkan Oezdemir, no último sábado (20), pela edição 220 do evento, em Boston (EUA). Após o triunfo, Cormier, que conquistou um nocaute técnico no segundo round, teve o seu nome especulado por Dana White, presidente do Ultimate, para uma superluta com Stipe Miocic, dono do cinturão dos pesados. No entanto, o lutador rechaçou a ideia, tendo em vista o retorno do companheiro de treinos na AKA, Cain Velasquez, que é ex-campeão.

“As pessoas falam sobre isso há um bom tempo. Lutei 13 vezes entre os pesados e odeio cortar peso, o que vocês todos já sabem. Sou o único cara que todo mundo aplaude apenas por subir na balança e bater o peso. É difícil falar sobre isso porque o Cain voltou agora a treinar. Ele está tentando voltar a fazer o que sabe. Se ele está preparado para recuperar o cinturão dele, então não tenho nada a fazer na categoria dos pesados. Isso nunca vai mudar”, apontou o lutador em entrevista coletiva sobre seu futuro na divisão até 120kg.

Aposentadoria definida

Às vésperas de completar 39 anos, Cormier revelou ao site MMA Fighting que vai encerrar a carreira em março de 2019, quando completar 40 anos. O campeão do Ultimate teve sempre a vida ligada ao esporte e não pretende estender a carreira nas artes marciais.

“Estou pronto, vou terminar aos 40 (anos). Não voltarei. Não haverá brincadeira ou ‘acabei até conseguir uma nova luta’. Estará encerrada (a minha carreira). Eu não vou fazer mais isso. Eu disse uma vez que eu vivi uma ótima vida nos esportes, adorei cada momento. Minha família girou em torno do esporte. Não só minha família, Selena e as crianças, mas também minha mãe e meu pai. Eu fui o centro do universo atlético para minha família por um tempo realmente, muito longo, e é hora de ser um pequeno Daniel. É hora de eles serem o centro da nossa competição atlética, e eu só quero ser um daqueles paizinhos loucos que gritam na linha lateral, enlouquecem e se gabam de seus filhos”, contou “DC”, que ainda não sabe quem será o próximo desafiante, mas pediu uma pausa para férias.

“Eles só querem me ver lutar contra esses caras grandes. Então, isso não está no meu radar agora, você sabe? Eu só vou tentar descobrir o que está acontecendo com a minha mão e ver o próximo (desafiante). Não é como se eu estivesse lutando com gente pequena. Alexander Gustafsson pode ser um peso-pesado, então, é como lutar contra um peso-pesado. Desta maneira, vou sair agora e ver o próximo, ver quem se apresenta como o próximo desafio enquanto descanso e recupero o meu corpo”, apontou o americano.

Sobre a possibilidade de enfrentar Alexander Gustafsson e, na sequência, encarar Jon Jones, que está suspenso provisoriamente por doping e aguarda o julgamento da USADA (Agência de Antidoping dos EUA), Cormier não vê isso como primordial. O campeão entende que vai enfrentar quem for merecedor de um title shot na divisão dos pesados.

“Não me importo com quem vou lutar ao longo dos próximos 14 meses. Vai ser quem for merecedor. Meu legado, minha carreira, não está vinculado a vencer Alexander de forma mais convincente dessa vez ou, finalmente, bater Jon Jones. Não me interessa mais. É sobre mim e sobre o que estou fazendo. No final do dia, eu tenho que estar bem comigo”.

Veja também

publicidade

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade