Cris Cyborg faz ‘exigências’ para encarar Amanda e avisa: ‘Vou te matar no cage’

Publicado em 17/01/2018 por: Yago Redua
Cris Cyborg faz ‘exigências’ para encarar Amanda e avisa: ‘Vou te matar no cage’ Cris Cyborg e Amanda Nunes voltaram a se provocar a respeito de possível duelo (Foto Getty Images / UFC)

publicidade

Uma das principais novelas do Ultimate neste começo de 2018 é a respeito de um confronto entre Cris Cyborg, campeã peso-pena, e Amanda Nunes, dona do cinturão na divisão dos galos. Dana White, presidente da organização, reafirmou que o desejo dos fãs é que o confronto saia do papel. Em entrevista ao site MMA Fighting, a curitibana, que até então era contra a realização do embate, mostrou-se favorável, mas deixou claro que a franquia precisa aceitar suas exigências e que o encontro aconteça em um “grande card”.

“Posso lutar com a Amanda, mas acho que quem é desafiante da minha divisão merece mais. Amanda não vende pay-per-view, no máximo 100 mil. Vencê-la não muda nada na minha carreira. Superluta? Ela não é o McGregor. Se for um grande evento, com grandes nomes, pode ser uma grande luta”, apontou Cyborg, que disparou contra a “Leoa”.

“Claro que ela quer essa luta. Ela lutou com a Ronda, a Ronda fez três milhões e a Amanda fez pay-per-view. Ela lutou com a Miesha, no card do Brock Lesnar, e fez pay-per-view. Mas ela não vende por ela mesma. Vamos lutar com a Cyborg? Ok, vamos lutar, mas tem que ser em um grande card. Respeito ela, porque ela é brasileira, mas me desafiou, então fique pronta porque vou te matar no cage”, projetou a dominante campeã dos penas.

Dana, por sua vez, revelou que Amanda foi contratada pelo extinto Strikeforce para lutar com a própria Cyborg na divisão até 66kg. Contudo, a curitibana rebateu as declarações do “Big Boss” e projetou que deseja lutar em julho, durante a Fight Week, em Las Vegas.

“A Amanda nunca esteve perto de lutar pelo cinturão até 66kg no Strikeforce. Ela perdeu para a Davis, para a Zingano. Têm várias lutas que ela poderia fazer. Se ela quer fazer a luta, tudo bem, tenho lutas para fazer no meu contrato. Mas quero que o UFC invista na minha divisão. Não quero me aposentar e ver a minha divisão ser tirada porque não tinham garotas. Eles podem chamar essa luta de “superluta”. Você pode lutar contra qualquer um e fazer seis dígitos, sabe? Mas tudo bem, se (Dana White) gosta de um grande evento e um grande card, ok, vamos fazer em julho. Vamos até Las Vegas”, encerrou Cris.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade