Johnson pede ‘grande card’ para encarar Dillashaw e mira PPV: ‘Acho que mereço’

por: TATAME | @tatameofficial
Publicado em 25/01/2018
Johnson pede ‘grande card’ para encarar Dillashaw e mira PPV: ‘Acho que mereço’ Johnson é o novo integrante do plantel do ONE Championship e vai participar de GP em 2019 (Foto Getty Images)

publicidade

A longa negociação para a realização da superluta entre Demetrious Johnson, campeão dos moscas, e TJ Dillashaw, dono do cinturão dos galos do Ultimate, parece ter chegado a um “acordo comum” entre os lutadores. No entanto, em entrevista à ESPN americana, “Mighty Mouse” revelou suas exigências para assinar o contrato: um grande evento, com nomes de destaque em ação, para que tenha uma alta venda de pacotes de pay-per-view.

“É o que o UFC quer, a superluta que todos desejam. Acho que eu e TJ estamos de acordo. Nós apenas queremos garantir que seja num card grande, garantir que possamos nos beneficiar de uma boa venda de PPV. Acho que eu mereço, e ele merece também”, disse Johnson, que seguiu fazendo suas pontuações e ressaltou que não quer ser o main event.

“Eu prefiro ter outra pessoa no evento principal, que vai trazer muito mais pay-per-view. Na minha opinião, isso que impediu a luta até agora no meu lado. Vi caras pularem em pay-per-view (grandes) e receberem US$ 1,5 milhão, enfrentando adversários inferiores ao que vou enfrentar. Eu e TJ podemos lutar num card menor e conseguir 275 mil vendas, receber um cheque extra de US$ 75 mil. Meus managers me disseram, ‘sabe, vamos esperar por um evento maior’. Muita gente acha que isso é uma forma de evitar a luta, mas é na verdade uma forma de ser um homem de negócios esperto e receber o máximo de dinheiro que posso. Se pudermos ter três lutas pelo título, uma edição campeão contra campeão, isso deve vender bem. Se eles fizessem St-Pierre x Tyron Woodley, Amanda Nunes x Cyborg e eu contra o TJ, podem me enviar o contrato agora”, apontou.

Ao ser indagado sobre a possibilidade de o UFC não aceitar os termos, Johnson afirmou que não vai topar a superluta. Explicou, ainda, que vai escolher o próximo desafiante do ranking e limpar a divisão dos moscas novamente. Vale lembrar que o “Mighty Mouse” chegou ao número de 11 defesas de cinturão consecutivas e se tornou o recordista do UFC.

“Sou direto. Se o UFC vier e disser, ‘sabe, Demetrious, não vamos te dar isso’, vou dizer: ‘Perfeito, então mandem o desafiante número 1 no peso-mosca e TJ pode permanecer no peso-galo e enfrentar quem quiser’. É assim que eu sou quando se trata disso. Não vou ficar aqui discutindo. Isso é o que quero, se vocês não vão me dar, tudo bem. Vou seguir lutando na minha divisão. Querem tirar o meu cinturão? Beleza, perfeito. Me destituam. Vou escalar a divisão de novo. Já bati todo mundo na minha divisão, agora estou esperando minha oportunidade de estar num card que ganhe esse tipo de dinheiro”.

Veja também

publicidade

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade