Aos 25 anos, Lucas Hulk vive o melhor momento da sua carreira no Jiu-Jitsu. Após vencer peso e absoluto no Mundial No-Gi da IBJJF, em dezembro, o faixa-preta repetiu o feito ao dominar o absoluto do Campeonato Europeu, realizado neste mês de janeiro, em Portugal.

Depois de vencer três adversários, o faixa-preta fechou a final do absoluto com Keenan Cornelius, também atleta da Atos e companheiro de treino. Para garantir sua vaga na final do peso-aberto, Lucas finalizou Tommy Langaker no estrangulamento norte-sul. Mas antes, o campeão passou por Patrick Gaudio e Elioty Kelly, este finalizado no estrangulamento relógio. Feliz com a boa fase na carreira, Lucas falou da conquista com o ouro absoluto e analisou a vitória sobre Tommy, que vinha de grande finalização sobre Erberth Santos.

“A sensação é incrível. Como venho de vitórias em dois campeonatos importantes (Mundial No-Gi e Europeu) do Jiu-Jitsu, sabemos que estamos no caminho certo e que o trabalho que a gente está fazendo não está sendo em vão. Estamos fazendo tudo certo. Estou feliz demais e espero que continue assim no Pan e no Mundial. O trabalho duro vai continuar”.

“Sobre a luta com Tommy, sabia que ele não era um oponente fácil. Já havia treinado com ele na Atos um tempo e sabia que ele não era bobo. Lutei estratégico com ele, porque sabia que ele tinha finalizado o Erberth no triângulo e o Renato Canuto no armlock, na mesma pegada que ele faz na gola e manga. Eu tentei ficar quebrando ali e emborcando ele. Quando emborquei, ele virou, e eu sabia que ele ficava muito de cabeça para baixo jogando a perna por cima. Dali, fui para o estrangulamento norte-sul e foi quando eu consegui botar pressão. Quando conseguir passar a guarda, só esperei mesmo, tentando não perder a posição do estrangulamento. É uma finalização que venho fazendo muito e quando ele deu a brecha do pescoço, eu abracei e finalizei”, comentou Hulk, que optou por não lutar no pesadíssimo para descansar seu corpo depois de uma maratona no absoluto.

Agora, o pupilo do casca-grossa André Galvão já pensa nos próximos desafios antes do Campeonato Pan-Americano da IBJJF, agendado para os dias 8, 9, 10 e 11 de março.

“Tenho uns campeonatos em mente, os Opens da IBJJF. Pretendo lutar antes do Pan, mas o foco mesmo para o próximo grande campeonato é o Pan. Os Opens são mais para adquirir experiência mesmo e manter o ritmo de competição, importante”, encerrou Lucas.