Barral comenta finalização sobre Maidana e exalta ACB JJ 10: ‘Temos palco para um grande show’

    Romulo Barral finalizou Arnaldo Maidana em uma grande luta no ACB JJ 10 (foto: Yago Rédua)

    Por Yago Rédua

    Um dos grandes nomes do Jiu-Jitsu, o experiente Rômulo Barral esteve em ação no ACB JJ 10, realizado em São Paulo, no último dia 26, e garantiu uma expressiva vitória ao finalizar Arnaldo Maidana, através de um estrangulamento. O faixa-preta conversou com à TATAME e fez uma análise da luta, afirmando que vinha treinando forte e se preparando ao máximo para o compromisso.

    “Eu perdi o primeiro round, mas eu estava bem tranquilo, porque faltavam dois rounds. Inclusive, nos meus treinos, eu estava lutando com os meus alunos, o Otávio (Sousa) e o Gabriel (Arges), que são duríssimos, eu sempre começava perdendo por 2 a 0, 4 a 0, mas estava conseguindo imprimir um ritmo bom nos outros rounds e consegui ir melhor até com eles. Isso estava me dando muita confiança e hoje (sexta-feira 26/01) foi assim, voltei confiante para o segundo round, fiz 21 a 2 e finalizei ainda no segundo round”, analisou o lutador, que explicou a bela homenagem feita ao pai ainda no tatame.

    “Hoje, eu tive a oportunidade de fazer isso (homenagear o pai). Foi a segunda vez que ele me viu lutando. O que eu falei (após a vitória, no tatame) foi verdade. Quando eu era mais novo, com 16, 17 anos, meu pai tinha uma situação difícil, ele ia me visitar na minha casa, ele não avisava, mas quando ia embora, sempre deixava um dinheirinho e eu tenho certeza de que era aquilo que ele tinha no bolso. Ele sabia que eu não ia pedir, mas sempre deixava. Toda semana, todo mês. Ele viajava 300, 400km para fazer isso. E hoje, graças a Deus, pude fazer uma grande homenagem para ele”, contou.

    Sobre o ACB, Rômulo fez elogios a estrutura e organização do evento que vem ganhando projeção dentro do cenário do Jiu-Jitsu. Além disso, comentou a oportunidade em fazer parte de um card histórico na arte suave.

    “Eu me senti muito feliz, acho que treinei a vida inteira… Fui um dos pioneiros, um dos atletas que ajudaram a construir isso. Está podendo lutar com essa geração, que podemos viver como atletas profissionais, eu fico muito feliz. O ACB veio para ficar. Eu conheço o presidente, o vice-presidente, conheço todo mundo, são pessoas extremamente corretas, que estão fazendo de tudo para a evolução do Jiu-Jitsu. Isso aí foi demais, ter participado de um dos maiores cards da história do Jiu-Jitsu, feliz demais”, apontou Barral, que acredita que o lutador de Jiu-Jitsu possa viver exclusivamente da modalidade.

    “Acho que daqui para frente, o Jiu-Jitsu está crescendo muito, o ACB está com contratando os melhores atletas, outros nomes estão assinando. Vieram para ficar e o Jiu-Jitsu vai tomar outro rumo. Os atletas mais novos, não eu, porque sou um pouco mais velho, vão poder viver igual aos atletas do surf e de outros esportes que no começo não eram tão grande, eram mal visto, mas hoje em dia temos um palco para um grande show. Está mudando agora, os lutadores de MMA estão vindo lutar Jiu-Jitsu (risos)”, encerrou.

    1 COMENTÁRIO

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome