Nova ‘aposta’ do UFC, Adesanya revela que matchmaker o ignorou: ‘Achei rude’

    Após estrear com vitória no UFC, Israel Adesanya reclamou de matchmaker da organização (Foto: Getty Images)
    Após estrear com vitória no UFC, Israel Adesanya reclamou de matchmaker da organização (Foto: Getty Images)

    Tido como uma das mais novas apostas dentro do Ultimate, Israel Adesanya confirmou as expectativas no último sábado (10), pelo UFC 221, realizado na Austrália. Fazendo sua estreia na organização, o nigeriano, que vinha invicto no MMA, com 11 vitórias, contabilizou seu 12º triunfo ao nocautear no segundo round o australiano Rob Wilkinson.

    Oriundo do Kickboxing, Adesanya possui um estilo agressivo e repleto de técnicas na trocação, desta forma, é visto como uma das grandes apostas na categoria peso-médio do UFC. Todavia, de acordo com o próprio lutador, alguns dirigentes da companhia ainda não o reconhecem da devida maneira. Logo após o evento, em entrevista aos jornalistas, o nigeriano revelou que Sean Shelby, “matchmaker” responsável pelo casamento de lutas do UFC, o “ignorou” em um evento da organização realizado no final do ano passado.

    “Eu estava no UFC 219 com Dan Hooker, meu companheiro de equipe, fazendo aquelas coisas de pré-luta. Sean Shelby apareceu e apertou sua mão, mas passou direto por mim. Eu achei aquilo um pouco rude, não é etiqueta profissional. Você sabe quem sou. O Mick Maynard (também matchmaker do UFC) é um cara legal, gosto dele. Ele me disse: ‘bem-vindo à companhia, blá blá blá’. Mas (Sean Shelby) simplesmente me ignorou, e isso aconteceu muitas vezes com caras que sei que estão me vendo, mas passam por mim cheios de si. Eu sorrio para todos, pois sou um cara legal. Mas eles acham que minha gentileza é uma fraqueza. Jamais pensem isso, jamais confundam isso, ou vão se enganar”, disse Israel Adesanya, que ainda falou sobre seus planos dentro da divisão dos médios.

    “Eu tenho um contrato de quatro lutas e quero cumpri-lo este ano, provavelmente chegar ao Top 10 no ano que vem, vejo isso acontecendo. Estou no UFC agora, senti a eletricidade, mas é déjà vu, a mesma coisa em um dia diferente. Quero chegar ao Top 10 até o ano que vem, mas quem sabe, pode ser este ano”, concluiu.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome