Victor Honório detalha treinos para encarar Erberth no ACB JJ 11, em Barcelona: ‘Estou mais rápido e forte’

    Victor Honório foi medalhista de ouro no Brasileiro de 2017, em São Paulo (Foto divulgação)

    Astro dos pesados do Jiu-Jitsu, Victor Honório, 24 anos, já tem data e local para envergar seu quimono de competição. O faixa-preta da equipe Qatar BJJ encara um velho conhecido, Erberth Santos, em uma das 14 superlutas do Absolut Championship Berkut Jiu-Jitsu (ACB JJ), que realiza sua 11ª edição em Barcelona, na Espanha, dia 3 de março.

    Honório, que vem embalado após boas atuações no Europeu 2018, está mais confiante para desempenhar melhor seu papel de atleta nesta temporada, com menos preocupações agora que se radicou em Doha, no Catar, juntamente de sua família, e ganhou novo foco.

    “Estou em uma fase nova na minha carreira. Agora posso focar na minha performance sem me preocupar tanto com a parte de dinheiro, pois hoje tenho todo suporte aqui em Doha para me preparar e lutar as principais competições”, contou Honório, que é professor e atleta de Jiu-Jitsu no país em um projeto ambicioso de propagar mundo a arte pelo mundo.

    Atleta da nova geração, Honório revelou como têm funcionado seus treinos para o circuito de competição durante o ano de 2018. Ele também contou o que aprendeu no Campeonato Europeu de Jiu-Jitsu da IBJJF, último torneio que disputou até o momento, em janeiro.

    “Somos 30 faixas-preta aqui no Catar e todos estão à disposição para me ajudar a treinar. Eu separo meu treino em três partes: preparação física, treino técnico e o sparring. Depois do Europeu, já melhorei em vários aspectos. Desci meu peso, estou mais rápido e forte. Podem esperar um Honório ‘raiz’, agressivo e com Jiu-Jitsu pra frente como meu pai me ensinou desde criança. Vou fazer meu melhor”, detalhou Honório, antes de falar sobre as oportunidades que a organização do Berkut vem proporcionando aos seus atletas.

    “O ACB JJ é o evento mais profissional que temos no Jiu-Jitsu atualmente. Ele valoriza o atleta e tenho orgulho de estar nessa organização. Lembro-me de quando era somente uma ideia na cabeça do Zaur. Fui puxar um ‘camp’ para eles na Chechênia junto com Davi Ramos, Ary Farias e Bruninho Célio nas vésperas do primeiro Berkut, que teve a luta principal Galvão x Barral. Na época, não imaginava que o evento iria ser tão grande”.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome