‘É mais dinheiro do que o cinturão’, diz Jéssica sobre desafio de Amanda a Cris

    Bate-Estaca quer vencer Karolina no UFC 228 e encarar Namajunas no UFC 232 (Foto Getty Images / UFC)

    Por Yago Rédua

    O confronto entre as brasileiras Cris Cyborg, campeã dos penas, e Amanda Nunes, dona do cinturão dos galos, parece ser cada vez mais iminente. No último sábado (3), após a vitória sobre a russa Yana Kunitskaya, a curitibana disse que vai “topar” o desafio e enfrentar a compatriota, mas deseja que o confronto seja em julho. Já Dana White, prefere marcar a luta para maio, no UFC Rio 9. Jéssica Bate-Estaca, outra importante representante do Brasil na organização, achou “desnecessário” o desafio feito pela “Leoa”.

    “Acho que quando você está na mesma categoria, você tem que lutar com outra brasileira, é inevitável. Você está bem no ranking e o confronto é natural. Acho que é uma coisa desnecessária a Amanda querer lutar com a Cris. É uma categoria diferente. Acho que seria legal se ela (Amanda) tivesse pedido para lutar na categoria até 57kg (moscas), que não tem brasileira campeã. Aí seria legal, vê-la com dois cinturões. Depois vai lutar com a Cris. Acho que ela pediu uma luta desnecessária. Algo que é mais por dinheiro, do que vontade de ser campeã. Duas brasileiras com o cinturão, eu jamais pediria para lutar com ela ou a Cris, sendo de outra categoria. Pediria para lutar em uma categoria que não tenha outra brasileira com o cinturão. Agora ela vai ter que aguentar as consequências. A Cris disse que quer lutar com ela, ainda no octógono, então, não adianta ela querer correr (risos)”, apontou Jéssica, atual segunda colocada no ranking peso-palha, em entrevista à TATAME.

    Análise da estreia de Mackenzie

    Além da vitória de Cyborg no UFC 222, Mackenzie Dern, multicampeã no Jiu-Jitsu, fez a sua tão esperada estreia no Ultimate. Bate-Estaca contou que assistiu à luta, fez uma análise e disse que espera um dia encarar Dern, já que ambas são da mesma divisão.

    “Eu assisti à luta, ela lutou muito bem. Acho que ela se perdeu um pouco na trocação. A menina (Ashley Yoder) defendeu muito bem a parte de chão. Ela (Mackenzie) tem uma parte de chão muito boa, é perigosa, se estiver no chão, tem um domínio e uma possibilidade muito grande de posições, então, tem que tomar muito cuidado. Na parte de queda, se a lutadora souber defender, ela não parece colocar muito perigo. Ela vem se destacando, deve voltar a lutar em maio (no UFC Rio 9), o UFC vem investindo nela… Logo, logo deve chegar ao Top 10 e tomara que eu possa lutar com ela, porque é legal lutar com lutadoras boas, então acho que seria um grande combate”, encerrou Jéssica.

    8 COMENTÁRIOS

    1. BATE ESTACA DEVIA LUTAR MAIS DO QUE FALAR DOS OUTROS….. BLA BLA BLA MI MI MI …. QUANDO LUTOU COM A JOANA TOMOU UM CORO, O QUE ADIANTA TER MÚSCULOS E SE ACHAR FORTE ??????? AI CHEGA A FRANZINA NAMAIUNAS E MOSTRA COMO SE FAZ. NAMAIUNAS NÃO PERDE TEMPO FALANDO!!! ELA FAZ !!!!!!!!!!! POR ISSO É A CHAMPION, NIMNGUÉM É CHAMPION Á TOA !!!!!!! FUI……. OZZZZZZZZZZZZZZZZ

    2. pagar tambem meia hora de brioco em uma academia fitness kkkkkkkkkkkkk kuvaski na academia bate e apanha de muie kkkkkkkkkk

    3. Também acho desnecessário essa luta, primeiro a Amanda Nunes deveria quebrar o record da Ronda de defesas de cinturão, pra depois querer uma super luta com a Cyborg…

    4. Amanda pode perder a moralzinha que ganhou e levar de quebra um abalo psicológico e nunca mais se recuperar.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome