Amanda fala de amizade com ‘Rocky’ e luta com Cyborg: ‘Divisão estava parada’

    Amanda Nunes comentou amizade com Raquel Pennington e divisão dos galos do Ultimate (Foto Getty Images / UFC)

    Por Yago Rédua e Mateus Machado

    Campeã peso-galo do Ultimate, Amanda Nunes vai defender o seu cinturão contra Raquel Pennington, no UFC 224, dia 12 de maio, no Rio de Janeiro. Mas diferente de outras lutas, onde provocações costumam acontecer, “Leoa” e “Rocky” possuem uma amizade fora do octógono. Inclusive, antes do encontro com a imprensa para divulgar a nona edição do Ultimate em solo carioca, as lutadoras, ao lado de suas companheiras (Nina Ansaroff e Tecia Torres, respectivamente), foram jantar e postaram uma foto juntas.

    Amanda destacou sua amizade com Pennington e pregou “respeito” a norte-americana. Além disso, a “Leoa” comentou sobre a demora para oficializar a luta e a sua relação atual com a mídia, principalmente após o encontro com a ex-campeã Ronda Rousey, no UFC 207, em dezembro de 2016. A baiana também opinou sobre a divisão dos galos, a falta de opções e, por isso, revelou que “pediu” para lutar com Cris Cyborg, campeã dos penas.

    Confira abaixo a entrevista de Amanda Nunes:

    – Amizade com a Raquel Pennington

    Eu acho que é uma luta interessante, justamente por causa da amizade. Vai ser bom ver a reação dos fãs, porque eu não vou falar mal da ‘Rocky’ e ela não vai falar mal de mim. Vamos entrar lá e mostrar o nosso trabalho, mostrar o que temos que fazer. Quero fazer o meu melhor e sair com a vitória, mas apenas uma sairá vencedora (risos). Acredito que vai ter repercussão muito boa e diferente. Estou muito empolgada para essa luta e lembrando que a Raquel fez parte do reality TUF, que para ela é fácil lutar com amiga, porque está na casa o tempo todo. Eu também já lutei com algumas meninas que eu tenho uma certa amizade. Eu fui para a festa de Miesha Tate quando ela ganhou (o cinturão) da Holly Holm. Eu estava lá. É bem natural e profissional pra gente, conseguimos dividir isso bem.

    Rio De Janeiro ?

    Uma publicação compartilhada por Tecia Torres (@teciatorres) em

    – Demora para anunciar a luta com a Raquel

    Essa luta demorou mesmo para ser anunciada. A ‘Rocky’ sofreu um acidente, aí tivemos que adiar um pouco e teve toda aquela negociação com a Cris e tudo mais. Mas aí, não sei o que aconteceu, ela ficou com a outra oponente e o UFC me ofereceu a ‘Rocky’. Eu falei: ‘Não vou ficar parada’. Acho que foi da parte deles mesmo, porque da minha estava certo.

    – Relação com a mídia e tratamento

    Então, eu vou ser muito sincera… Realmente, eu me fechei um pouco para a mídia, porque eu nunca fui daquelas lutadoras que gosta de ficar dando entrevista toda hora, de ficar viajando. Tudo isso é muito novo para mim, então eu tive que me adaptar, e com essa adaptação, eu tive muitos altos e baixos, e eu preferi me resguardar um pouco, para falar só no momento certo, e porque estavam acontecendo várias coisas na minha carreira, então eu queria ter o momento certo de falar, para não falar nada sem pensar, sendo que várias vezes eu falei coisas sem pensar, não quero mais cometer esses erros. Hoje, eu converso com a minha irmã sobre o que eu tenho que falar, o que preciso melhorar, até mesmo no próprio português, que eu melhorei bastante e estou trabalhando cada dia mais. Me resguardei bastante para saber falar no momento certo e acredito que tudo tem um momento exato, até mesmo para a mídia, aceitar uma nova campeã… Tudo era ‘Ronda, Ronda, Ronda’… Não tinha tempo para ninguém, hoje tudo mudou. Eu espero estar mudando e estou gostando bastante disso, está me motivando cada vez mais.

    – Falta de movimentação no peso-galo

    Eu acho que tem que vir do UFC isso. O matchmaker do UFC tem que colocar as meninas para lutar. Tem que ter desafiante pra mim. Eu também fico sentada quase um ano esperando até surgir outras meninas. E outra, eu não acho que a ‘Rocky’ é zebra. A minha divisão estava parada, a da Cris estava parada, então eu vi uma oportunidade e falei com o Dana White: ‘Vamos fazer, vamos fazer acontecer’. Eu to aqui, não tem ninguém, a ‘Rocky’ estava machucada, eu não queria colocar ninguém na frente dela, então eu tinha que fazer algo até para me motivar, e foi aí que entrou o caso da Cris (Cyborg). Se a Raquel estivesse pronta a gente já tinha lutado há muito tempo, já tinha promovido essa luta.

    CARD PROVISÓRIO:

    UFC 224
    Jeunesse Arena, no Rio de Janeiro (RJ)
    Sábado, 12 de maio de 2018

    Amanda Nunes x Raquel Pennington
    Vitor Belfort x Lyoto Machida
    Ronaldo Jacaré x Kelvin Gastelum
    John Lineker x Brian Kelleher
    Thales Leites x Jack Hermansson
    Davi Ramos x Nick Hein
    Alberto Miná x Ramazan Emeev
    Júnior Albini x Alexey Oleynik
    Cézar Mutante x Karl Roberson
    Mackenzie Dern x Amanda Cooper
    Warlley Alves x Sultan Aliev

    2 COMENTÁRIOS

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome