Tony Ferguson questiona perda de título: ‘Quando vi o que fizeram, fiquei chocado’

    Tony Ferguson conquistou o cinturão interino contra Kevin Lee, em 2017 (Foto Getty Images / UFC)

    Às vésperas da luta com Khabib Nurmagomedov, Tony Ferguson rompeu os ligamentos do joelho e precisou abandonar o card do UFC 223, no próximo sábado (7), no Brooklyn (EUA). O Ultimate, então, anunciou que vai retirar o cinturão interino de “El Cucuy”, que se irritou ao comentar o assunto. A organização também comunicou que o confronto entre “The Eagle” e Max Holloway, campeão dos penas, vai valer o título da categoria até 70kg.

    “Eu não falei com o UFC ainda sobre o que vamos fazer depois. Quando vi o que eles fizeram, fiquei chocado. Me machucou ainda mais. Essa lesão foi algo que não podia controlar. O UFC não me disse nada sobre eu perder meu título. Você não deveria tirar o cinturão de um campeão por causa de uma lesão bizarra que aconteceu durante um evento de mídia obrigatório do UFC”, comentou Ferguson em entrevista ao site MMA Fighting, que ainda explicou, detalhadamente, como aconteceu a lesão na última sexta-feira (30).

    “Eu escorreguei e ouvi um estalo. Assim que voltei para o carro depois de ser entrevistado, eu virei para a minha esposa para contar o que aconteceu, e ela ficou preocupada. Tinha alguns membros da minha equipe e do estafe do UFC comigo. Depois que fui para a casa e fiz exercícios na piscina, senti tensão e perigo no meu treino. Acordei na sexta-feira com um pouco de dor e tentei treinar mesmo assim. Vocês me conhecem, eu sou duro. Tentei treinar tarde da noite depois de tirar um dia de descanso, mas meu joelho travou. Acordei sábado com mais dor ainda, mas tentei treinar de novo. Meu joelho estava doendo e, lentamente, percebi que era algo mais sério. Não sou médico, mas quando vi a ressonância magnética, parecia que tinha uma bandeira no meu ligamento. Como se estivesse pendurado na lateral de um poste. Queria que eles fizessem algum tipo de infiltração, mas eles disseram que isso poderia estourar meu joelho inteiro”, contou o americano.

    Ainda sobre a perda do cinturão interino, Ferguson relembrou o caso de Robert Whittaker, que ficou com o título interino dos médios mesmo quando Michael Bisping e Georges St-Pierre disputaram o título linear, em novembro passado, no UFC 217, em Nova York (EUA). O lutador peso-leve pediu mais coerência ao Ultimate no tratamento dos casos.

    “Existe um precedente para ter uma luta pelo título ‘real’ e manter um título ‘interino’ intacto. Eles acabaram de fazer isso com o Robert Whittaker ano passado. Só espero que eles façam a coisa certa comigo também”, encerrou um chateado Tony Ferguson.

    4 COMENTÁRIOS

    1. mais lá nos médios não tem o Mc Gregor esperando a oportunidade certa pra lutar. por isso deixaram o Robert W. com o cinturão interino. e o GPS não ia defender a cinta e o Dana sabia disso.

    2. Nada justifica o cinturão ficar esperando o lutador voltar da lesão. Isso vai servir de estimulo para ele buscar novamente o cinturão, entre na fila e comece a ganhar as lutas, que logo estará na boca do leão novamente.

    3. O único problema disso tudo é que não existe nenhum critério, se o chefe quer que o cara fique um ano de férias com a cinta ele vai ficar, pelo contrario, já sabe, não fica nenhum mês.

    4. E porque não tiram também o cinturão do Tyron Woodley, já que não defende e agora inventaram mais um cinturão interino..

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome