Com detalhes da carreira e revelações pessoais, Minotauro tem documentário lançado no Rio

    Rodrigo Minotauro teve seu documentário lançado no último domingo (Foto: Divulgação/Rio2C)
    Rodrigo Minotauro teve seu documentário lançado no último domingo, no Rio (Foto divulgação Rio2C)

    Por Mateus Machado

    A história de vida e todas as superações de um lutador trazidas não só para os amantes do MMA, mas também para o público que não acompanha o mundo da luta. Assim pode ser resumido o documentário produzido pela Hungry Man e co-produzido pelo Canal Combate, em parceria com o UFC, que conta a trajetória de Rodrigo Minotauro, lenda das artes marciais mistas, que foi lançado no último domingo (8), durante o evento de audiovisual Rio2C, realizado na Cidade das Artes, localizada na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.

    Entre o épico duelo contra o “monstro” americano Bob Sapp, no PRIDE, em 2002, que abre o filme, e o confronto com Brendan Schaub, na primeira vez em que Minotauro disputou o UFC no Brasil, em 2011, o espectador vê o brasileiro de muletas, depois das diversas cirurgias a que precisou se submeter, ouve que Minotauro lutou pela própria vida quando um caminhão passou por cima dele, na infância, e entende por que, mais do que uma estrela do esporte, ele é considerado um autêntico herói para todos os brasileiros.

    Com a presença de um grande público, o documentário trouxe, além de revelações da vida e carreira de Rodrigo, emoção e momentos de vibração entre os presentes, que puderam acompanhar os bastidores e imagens, até então, pouco conhecidas do grande público, como sua trajetória vitoriosa no PRIDE, a idolatria do público japonês, as épicas vitórias ao longo da carreira e as diversas cirurgias já realizadas, sempre com superação e confiança.

    “O projeto do documentário começou de uma maneira bem informal, em uma conversa no set de filmagens do filme ‘Velozes e Furiosos’, em novembro de 2010. Em 2011, começamos as filmagens… Eu ia fazer duas cirurgias no quadril e outra no joelho, ia ficar um ano sem lutar por conta dessas três cirurgias, eu ficaria cinco meses andando de muletas, e a gente começou esse documentário filmando desde a recuperação da cirurgia, eu mancando, indo para a academia. A gente tinha o intuito de mostrar essa recuperação, de superação, a virada até chegar à volta ao octógono (em 2011, no primeiro evento do UFC no Brasil). Mas no final a gente descobriu também um outro ponto, que é a divulgação do esporte, pessoas que se apaixonaram pelo esporte por conhecerem essa história de superação. O documentário é muito interessante, relata bem o meu lado pessoal, a minha família, é uma coisa que vai além do octógono. Começamos em 2010 e terminamos só em 2018. Foram muitas imagens, histórias contadas e muito carinho”, detalhou Minotauro.

    “Para mim, foi uma grande emoção mostrar a vida desse cara que, para mim, é o ídolo número 1 entre todos. Foi o cara que me inspirou a entrar nas artes marciais, inspirou a minha carreira. Eu lembro de uma época que eu estava fazendo Direito e eu estava meio que desistindo já da luta, estava muito difícil no início, fazendo também a faculdade… Eu estava no Maracanã, no caminho para a faculdade, já tinha meio que deixado a luta de lado, e o Rodrigo falou: ‘Vem aqui, tenho uma proposta para você’. Daí eu dei a curva, tomei essa decisão na minha vida e foi ali que tudo começou. Ele me convidou para ir ao Japão, que era um grande mercado na época, e ele esteve envolvido em tudo isso. Ele guiou minha carreira. Tudo o que eu tenho hoje na minha vida pessoal, na luta, eu devo a ele. Esse documentário mostra o lado do Rodrigo que poucos conhecem, o lado humano e incrível dele. É uma história impressionante”, afirmou Rogério Minotouro, irmão da lenda.

    Bastidores e revelações marcam o documentário que conta a trajetória do brasileiro (Foto: Divulgação/Rio2C)
    Bastidores e revelações marcam o documentário que conta a trajetória do brasileiro (Foto Divulgação/Rio2C)

    “Acreditamos nesse projeto desde o começo e fomos dando ‘soco em prego’ até a gente conseguir imagens e mais imagens para captar os momentos da vida do Rodrigo. É um filme que a gente tentou trazer o Rodrigo de verdade, por dentro, em toda sua essência. As pessoas veem o lutador, mas ele é um ser humano espetacular, um coração e um lado humano que vi em pouquíssimas pessoas”, disse Fernando Serzedelo, um dos diretores.

    “Procuramos fazer um filme de luta, sobre um lutador, mas um filme para a família. O grande objetivo era fazer com que as pessoas que não conhecessem ou não se identificassem com a luta, se identificassem com a história do Rodrigo e se emocionassem com a história de vida de um grande representante do esporte no Brasil e do mundo, com certeza uma lenda para os fãs”, contou JC Feyer, também diretor da produção nacional.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome